Salvador Sobral: "Não componho a pensar no coração de outra pessoa"

O músico deu esta noite a sua primeira entrevista após o transplante de coração a que foi submetido em dezembro. Prefere falar do futuro do que do passado e garante que não mudou.

Salvador Sobral está de regresso. Ainda em recuperação da cirurgia ao coração a que foi sujeito no Hospital de Santa Cruz, em Carnaxide, esteve no Telejornal da RTP. A estação pública de televisão diz que o músico tem uma digressão marcada para Espanha a partir de 27 de junho, e presença assegurada em festivais de verão.

De poucos detalhes desta nova fase da vida do músico se falou. Salvador Sobral disse, já no final da entrevista, que o seu sonho é "viajar pelo mundo inteiro e tocar". Falou em Caracas e Bogotá, mas o seu mundo não seria só este: "digo estes porque sou um bocado viciado na América do Sul", disse no seu estilo informal e bem disposto. Vai regressar aos palcos nas ilhas, Açores e Madeira.

O músico de 28 anos diz que o transplante cardíaco não fez dele uma pessoa diferente e que continua a ser o mesmo. Não sentiu nada de especial depois de acordar: "Não senti nada. É impossível pensar ou sentir, é uma experiência fora da realidade".

Desvalorizando o facto de ter um coração novo ser algo extraordinário, - "eu adaptei-me, aquela situação para mim é a realidade" - quer olhar em frente: "Tinha aquele problema, está resolvido, vou começar a tocar".

Respondendo à questão do jornalista João Adelino Faria, se quando compõe pensa que tem o coração de outra pessoa, Salvador Sobral disse: "Não componho a pensar no coração de outra pessoa". Aliás, garante, gosta mais de ser intérprete do que ser compositor. "Componho quando um amigo meu quase me obriga a compor", disse bem disposto.

Por isso, convidou outros a comporem as músicas do seu novo disco, que está a preparar. Entre eles os escritores Miguel Esteves Cardoso e Gonçalo M. Tavares e os músicos Mário Laginha e Samuel Úria - "Samuel se me estás a ouvir compõe essa merda", disse.

Salvador Sobral admite que não tem a voz a cem por cento devido aos medicamentos que está a tomar: "A minha voz está mais frágil".

O vencedor do Festival Eurovisão com a música Amar Pelos Dois deverá regressar no Festival da Canção, cuja primeira semifinal decorre no próximo domingo. Com 26 concorrentes, o Festival da Canção terá um escolhido por Salvador Sobral. Trata-se de Janeiro, 23 anos, que interpreta a sua própria canção - Sem Título. Henrique Janeiro já colaborou com o vencedor da Eurovisão no seu tema Tereza e Tomás.

Exclusivos