O palco, a vida e o desejo

Crítica a "Marvin", de Anne Fontaine.

A vida de um rapaz de província que se torna autor e ator teatral de sucesso em Paris. Este é o ponto de partida do novo filme da irregular Anne Fontaine, cineasta francesa que tenta fazer um "cinema do meio". A passeata de Marvin a descobrir a sua sexualidade não tem propriamente clímaxes narrativos que sustentem a própria opção da cineasta em recorrer de forma incontinente aos constantes flashbacks. Como se fosse tudo um peso insustentável e espetáculo de admiração: olhem como a homossexualidade é matéria tão "traumática".

Pelo meio, há Isabelle Huppert a fazer de Isabelle Huppert com a frieza desconcertante do costume. Pode não ser nada de "especial", mas a presença curta da atriz faz adivinhar um outro filme que não este. Um filme com um outro tom que seria capaz de nos deixar um pouco mais perplexos.

Classificação: ** (Com interesse)

Ler mais

Exclusivos

Premium

Daniel Deusdado

"Petróleo, não!" Nesta semana já estivemos perto

1. Uma coisa é termos uma vaga ideia de quão estupidamente dependemos dos combustíveis fósseis. Outra, vivê-la em concreto. Obrigado aos grevistas. A memória perdida sobre o "petróleo" voltou. Ficou a nu que temos de fugir dos senhores feudais do Médio Oriente, das oligopolísticas, campanhas energéticas com preços afinados ao milésimo de euro e, finalmente, deste tipo de sindicatos e associações patronais com um poder absolutamente desproporcionado.