Adega da Herdade do Freixo ganha prémio de Edifício do Ano

O projeto do arquiteto português Frederico Valsassina venceu o prémio de Edifício do Ano da Archdaily na categoria de arquitetura industrial. Conheça os outros 14 vencedores.

A adega concebida por Frederico Valsassina foi considerado o Edifício do Ano no que à arquitetura industrial diz respeito, anunciou hoje a publicação online. "É o reconhecimento do trabalho de uma equipa que trabalha comigo há muitos anos", disse o autor do projeto ao DN. "E mostra que a arquitetura portuguesa está de muito boa saúde".

Frederico Valsassina Arquitetos levou a cabo o projeto na Herdade do Freixo, uma propriedade alentejana de 300 hectares, 26 dedicados à vinha. "A morfologia do lugar foi decisiva, tornando imperativo mantê-lo intacto, apesar da intervenção em causa numa construção deste género", explicou o gabinete de Valsassina à Archdaily, a publicação que, anualmente atribui estes prémios."Uma intervenção nunca poria em perigo o equilíbrio encontrado no local", acrescentam. O edifício confunde-se com a paisagem, e esse era o plano do arquiteto.

"Na produção, a opção de enterrar a adega, projetando em vários pisos até mais de 40 metros de profundidade, permitiu que a força gravitacional do processo de fazer vinho fosse usada, respeitando as massas do vinho e usando as mais avançadas e inovadoras técnicas de enologia. Foi também possível, por esta razão, criar as melhores condições térmicas para a conservação do vinho dada a redução da amplitude térmica e os baixos valores de temperatura", considera o ateliê acerca do projeto, num texto elaborado para a plataforma Archdaily, que entrega anualmente estas distinções.

A adega da Herdade do Freixo competia pelo prémio de Edifício do Ano ao lado de outros dois projetos de arquitetos portugueses: a sede de GS1 Portugal, do ateliê Promontorio, e a Faculdade de Arquitetura de Tournai, do ateliê Aires Mateus.

Os vencedores, apurados a partir de cerca de 100 mil votos, passaram dos milhares para 15, representando diferentes tipologias da arquitetura. Como menciona o comunicado da Archdaily, podem ser arquitetos conhecidos no mundo inteiro como Foster+Partners, autores da loja Apple em Chicago, Ellen van Loon, do ateliê OMA, autora de um edifício de escritórios, ou a arquitetura posta em prática num campo de refugiados. Destacam-se o número de projetos oriundos da Ásia.

Esta é a lista completa:

Arquitetura pública - Zaryade Park, de Diller Scofidio + Renfro
Noventa projetos, de 27 países, com propostas para a reconversão de uma zona historicamente privada e comercial da cidade de Moscovo chegaram ao departamente de urbanismo em 2012, quando o concurso internacional foi lançado. Venceu o consórcio Diller Scofidio + Renfro. O plano era construir um parque de inspiração russa e moscovita, usando as mais recentes tecnologias de construção e estratégias de sustentabilidade.

Arquitetura Industrial - Herdade do Freixo (Portugal), de Frederico Valsassina
A adega da Herdade do Freixo partiu de um concurso, que haveria de ser ganho pelo arquiteto Valsassina no final de 2013. O edifício, coberto com vinha, pertence à Casa de Santar.

Casas - Casa de vidro ótico (Japão), Hiroshi Nakamura & NAP
Esta casa encontra-se entre edifícios na baixa da cidade de Hiroxima, com vista para uma rua com muitos carros e elétricos. A privacidade foi conseguida projetando um jardim e uma fachada de vidro ótico. É visível de todas as divisões da casa.

Arquitetura para a saúde - Fundação de Santa Fé, Bogotá, de El Equipo de Mazzanti
"A Fundação Santa Fe de Bogotá foi um desafio, porque mais do que ser uma edifício tinha de se ligar a um nível urbano, tem de se fundir com o existente e projetar-se para futuras exigências", diz a equipa de Mazzanti sobre o edifício vencedor do Edifício do Ano na categoria dos projetos de arquitetura para a saúde.

Arquitetura para a educação - Aldeia das Crianças, de Rosenbaum + Aleph Zero
Com este projeto os arquitetos pretendem combinar o saber popular, a imensidão da savana brasileira e a infinitude do céu, explicaram à Archdaily. O projeto, uma aldeia de crianças, com 23 300 metros quadrados, construída em dois polos: o das raparigas e dos rapazes.

Arquitetura de pequena escala - 100 salas de aula para crianças refugiadas, Arquitetura de Emergência e Direitos Humanos
A guerra civil na Síria deslocou milhões de pessoas, muitas delas crianças, que não recebiam educação por não existiam escolas. Respondendo a esse problema, a Emergency Architecture e Human Rights esta a construir escolas de superadobe para crianças num campo de refugiados na Jordânia, a 10 quilómetros da fronteira com a Síria. Atualmente vivem neste campo 15 mil sírios e 13 mil jordanos. As salas de aula deverão ser usadas por crianças durante a manhã, à tarde por adultos. A arquitetura é inspirada na Grande Mesquita de Djenné, a arquitetura tradicional do Mali e a arquitetura vernacular das cidades de Aleppo e Homs, de onde vêm a maioria dos refugiados.

Arquitetura da hospitalidade - Koi Cafe, de Farming Architects
Café e casa do peixe Koi, o peixe de Japão, este espaço no Vietname tem três andares e distingue-se pelo uso de mosaicos Batrang.

Escritórios - RIJNSTRAAT 8, de Ellen van Loon (ateliê OMA)
Colaboradora de longa data do atelier OMA, o mesmo de Rem Koolhaas, Ellen van Loon é a autora deste edifício de escritórios em Haia, uma parceria público-privada destinada a albergar o Ministério dos Negócios Estrangeiros da Holanda.

Arquitetura de interiores - Sede da Nike (Nova Iorque)/ WSDIA - We Should do it All + Studios Architecture
A Nike construiu o seu quartel-general em Midtown, Nova Iorque. Tem 150 mil metros quadrados de área.

Arquitetura religiosa - Templo budista Waterside, de Archstudio
Com menos de 200 metros quadrados, o templo localizado em Tangshan, Hebei, na China, destina-se à meditação e desde o início quis ser uma ligação com a natureza, explicaram os autores à Archdaily.

Melhor produto aplicado - CaixaFórum Sevilha (Espanha), de Vásquez Consuegra

Esta categoria nasceu em 2017 e visa premiar um projeto em que o material desempenhou um papel fundamental na arquitetura. Este ano, o prémio fica em Espanha, e distingue-se pelo uso de Alumínio estabilizado e células de espuma de alumínio. Vásquez Consuegra licenciou-se na faculdade de arquitetura de Sevilha em 1972. Fez projetos para a Expo 92 e outras cidades espanholas.

Habitação - Huangshan Mountain Village, de MAD Architects
O projeto dos MAD Architects, que pretendem ser futuristas, orgânicos e tecnologicamente avançados, fica próximo de antigas aldeias, junto às montanhas. A natureza orientou o projeto, em detalhes como os acessos, desenhados para responder à topografia.

Arquitetura desportiva - Ginásio do novo Campus da Universidade Tianjin, do atelier Li Xinggang
O edifício da cidade chinesa de Tianjin tem dois volumes - um dedicado a vários desportos de paviLhão, outro com piscinas. Os dois ligam-se através de uma ponte que fecha a praça central e liga todo o edifício. São quase 14 mil metros de área construída.

Arquitetura cultural - Museu Zeitz de Arte Contemporânea África, de Heatherwick Studio
Do londrino Heatherwick Studio para a Cidade do Cabo, África do Sul, veio o projeto para aquele que será o maior museu do mundo dedicado à arte contemporânea em África e à sua diáspora. Foi inaugurado a 22 de setembro de 2017. O museu ocupa um silo desativado em 1990 e aos arquitetos coube converter 9500 metros quadrados de área, distribuídos por 9 pisos. O investimento no projeto ronda os 34 milhões de euros.

Arquitetura comercial - Loja Apple na Avenida Michigan, em Chicago (EUA), de Foster+Partners
O projeto, cerca de 20 mil metros quadrados, procura integrar-se nas dinâmicas da cidade, neste caso Chicago, e foi concebido em parceria estreita com o diretor de design da Apple, Jonathan Ive, o departamento de retalho e lojas online e o ateliê de arquitetura.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ruy Castro

À falta do Nobel, o Ig Nobel

Uma das frustrações brasileiras históricas é a de que, até hoje, o Brasil não ganhou um Prémio Nobel. Não por falta de quem o merecesse - se fizesse direitinho o seu dever de casa, a Academia Sueca, que distribui o prémio desde 1901, teria descoberto qualidades no nosso Alberto Santos-Dumont, que foi o verdadeiro inventor do avião, em João Guimarães Rosa, autor do romance Grande Sertão: Veredas, escrito num misto de português e sânscrito arcaico, e, naturalmente, no querido Garrincha, nem que tivessem de providenciar uma categoria especial para ele.

Premium

João Taborda da Gama

Le pénis

Não gosto de fascistas e tenho pouco a dizer sobre pilas, mas abomino qualquer forma de censura de uns ou de outras. Proibir a vista dos pénis de Mapplethorpe é tão condenável como proibir a vinda de Le Pen à Web Summit. A minha geração não viveu qualquer censura, nem a de direita nem a que se lhe seguiu de esquerda. Fomos apenas confrontados com alguns relâmpagos de censura, mais caricatos do que reais, a última ceia do Herman, o Evangelho de Saramago. E as discussões mais recentes - o cancelamento de uma conferência de Jaime Nogueira Pinto na Nova, a conferência com negacionista das alterações climáticas na Universidade do Porto - demonstram o óbvio: por um lado, o ato de proibir o debate seja de quem for é a negação da liberdade sem mas ou ses, mas também a demonstração de que não há entre nós um instinto coletivo de defesa da liberdade de expressão independentemente de concordarmos com o seu conteúdo, e de este ser mais ou menos extremo.

Premium

Bernardo Pires de Lima

Em contagem decrescente

O brexit parece bloqueado após a reunião de Salzburgo. Líderes do processo endureceram posições e revelarem um tom mais próximo da rutura do que de um espírito negocial construtivo. A uma semana da convenção anual do partido conservador, será ​​​​​​​que esta dramatização serve os objetivos de Theresa May? E que fará a primeira-ministra até ao decisivo Conselho Europeu de novembro, caso ultrapasse esta guerrilha dentro do seu partido?