Palestra de Jaime Nogueira Pinto cancelada devido a ameaças

Professor ia falar na Universidade Nova de Lisboa sobre o Brexit, Trump e Le Pen. Associação de Estudantes exigiu cancelamento do evento

O politólogo Jaime Nogueira Pinto era o único orador convidado para a palestra-debate "Populismo ou democracia? O Brexit, Trump e Le Pen em debate", marcado para esta terça-feira, dia 7, na Universidade Nova de Lisboa, mas a conferência foi esta segunda-feira cancelada por alegadas ameaças à integridade física do também professor, escritor e empresário.

"A Direção da FCSH da Universidade Nova de Lisboa, perante as ameaças da direção da Associação de Estudantes, de orientação maoísta, decidiu suspender a Conferência que se ia realizar. Peço desculpa, e prometo que avisarei em tempo e horas da próxima", revelou Jaime Nogueira Pinto aos convidados. Ao DN, o escritor e historiador explicou que foi o próprio diretor da Faculdade, Francisco Caramelo, quem o avisou do cancelamento, depois de a contestação da Associação de Estudantes ter subido de tom.

"Não é a primeira vez que isto acontece. Já há uns tempos houve problemas quando entraram aos berros durante a intervenção da embaixadora israelita", afirmou Nogueira Pinto, lamentando o que considera "um ato de intolerância esquerdista".

O que aconteceu? Resumidamente, um grupo de estudantes daquela casa organizou uma palestra, a Associação de Estudantes quis censurá-la e a direção da Universidade, depois de recusar fazê-lo num primeiro momento, acabou por ceder esta tarde, no seguimento de uma moção aprovada pela Associação de Estudantes em que se alegava que o evento estava "associado a argumentos colonialistas, racistas, xenófobos que entram em colisão com o programa para o qual a AEFCSH foi eleita, além de entrar em colisão com a mais básica democraticidade e inclusividade".

A moção apresentada por seis alunos da FCSH/UNL, a que o DN teve acesso, exigia que a AEFCSH cancelasse "a reserva de sala feita para o evento do grupo Nova Portugalidade, a realizar-se no dia 07/03/2017, terça-feira, às 18h". A Associação fazia acompanhar a moção de uma nota de repúdio "ao evento e ao cariz ideológico nacionalista e colonialista do núcleo que o promove e que se refere de forma indireta à descolonização no seu manifesto como 'trágico equívoco'".

A palestra "possui um caráter exclusivamente académico e trará à Faculdade de Ciências Sociais e Humanas um intelectual de renome, autor de vasta obra e merecedor de apreço geral", respondia o grupo Nova Portugalidade à Associação dos Estudantes e aos colegas, depois de o diretor da Faculdade, na sexta-feira, se ter recusado a cancelar o debate.

"Não podemos reconhecer mérito à acusação de que o evento está associado a argumentos racistas, colonialistas e xenófobos ou de que periga a democraticidade e inclusividade da Faculdade. A equipa da NP, que se integra de indivíduos de todos os géneros humanos, é prova viva do ridículo do texto e rejeita-o com dose igual de seriedade e bom humor." O grupo Nova Portugalidade congratulava-se ainda por "Portugal ser um Estado de direito democrático em que a nenhuma instituição, pública ou privada, é permitida a censura, a repressão ou a discriminação por razão de pensamento".

Os alunos acabaram, porém, por ver mesmo cancelado o evento, esta tarde. Ao Observador, o diretor da faculdade garantiu que o cancelamento não estava relacionado com ideologias ou cores políticas mas com a escalada do incómodo entre a AEFCSH e o grupo Nova Portugalidade, que "levantou preocupações relativamente à segurança do evento".

Entre os argumentos para que o debate não acontecesse, a AEFCSH defendia ser parte de "uma universidade onde a liberdade de pensamento e o pensamento crítico são promovidos". Para, imediatamente a seguir, acrescentar: "Não compactuamos com eventos apresentados como debates sob a égide de propaganda ideológica dissimulada de cariz inconstitucional". "Não existindo espaço para este tipo de grupos na nossa faculdade, pede-se que a AEFCSH tudo faça para tal debate não acontecer", pedia a AEFCSH.

Relacionadas

Últimas notícias

Conteúdo Patrocinado

Mais popular

  • no dn.pt
  • Portugal
Pub
Pub