Ministério quer que prova pioneira ajude a melhorar educação física

Alunos do 2.º ano estreiam provas de Expressões. Tutela espera detetar algumas fragilidades e que r que estas sirvam para rever práticas nas escolas

Pela primeira vez na Europa toda uma geração de estudantes - no caso os alunos portugueses do 2.º ano - será sujeita a uma prova de Educação Física. O Ministério da Educação admite que a avaliação de expressão físico-motora, integrada nas aferições de Expressões do 1.º ciclo, revela fragilidades na preparação dos alunos nesta área. Mas isso, defendeu o secretário de Estado da Educação, João Costa, será o ponto de partida para melhorar práticas.

"Temos recebido impressões, nas reuniões que temos feito, incluindo com os professores de Educação Física, que vão exatamente no sentido de que esta área específica do currículo não tem sido muito trabalhada", admitiu João Costa, num encontro com jornalistas no Ministério da Educação. "Mas até agora têm sido impressões. A partir de agora vamos ter dados sistemáticos sobre o que existe", acrescentou.

Há já um mês que o Instituto de Avaliação Educativa (IAVE) tem online um conjunto de recursos para a preparação dos testes - que não contam para a nota -, desde um "mapa" do percurso de exercícios que será montado a uma lista de materiais a utilizar e um vídeo - desenvolvido em articulação com professores de Educação Física - ilustrando os exercícios que os alunos terão de fazer.

O aparato tem gerado apreensão em alguns agrupamentos sem ginásios nas suas escolas-sede ou aos quais faltam alguns materiais. Mas João Costa defendeu que a questão tem sido gerida com "tranquilidade", com a ajuda "das câmaras municipais". Para o secretário de Estado, "o problema não é [essas escolas] não terem [material] para a prova". O problema, considerou, é que isso significa "que não o têm para o desenvolvimento do currículo". E essa será outra das questões a rever no futuro.

As provas, organizadas turma a turma, decorrem entre 2 e 9 de maio. Nesta quinta-feira será divulgado online o "guião" dos testes - que só costuma ser revelado após a avaliação. Isto, explicou o diretor do IAVE, Helder de Sousa, para garantir que todos os alunos têm a mesma informação antes dos testes. E também porque não é expectável que, em provas que avaliam sobretudo a aquisição de competências físico-motoras, este conhecimento prévio do teste faça a diferença nos desempenhos.

Últimas notícias

Conteúdo Patrocinado

Mais popular

  • no dn.pt
  • Portugal
Pub
Pub