Trump explica atentado terrorista na Suécia com reportagem da Fox

Casa Branca diz que presidente estava a falar em termos genéricos sobre a "subida da criminalidade"

Donald Trump explicou no Twitter de onde surgiu o alegado ataque terrorista na Suécia. "As minhas declarações sobre o que se está a passar na Suécia eram em referência a uma história sobre imigrantes & Suécia transmitida na @FoxNews", escreveu o presidente norte-americano.

A polémica nasceu no sábado, durante um comício na Florida. Falando sobre o suposto perigo de abrir as portas aos refugiados, Trump exemplificou com a atualidade sueca. "Vejam o que se está a passar na Alemanha, vejam o que se passou na Suécia na última noite. Na Suécia. Conseguem acreditar? Quem iria imaginar. Estão a receber muitos [refugiados] e estão a ter problemas que nunca pensaram que seriam possíveis", afirmou o presidente dos EUA.

Logo a seguir, Trump fez referência a lugares europeus onde efetivamente aconteceram atentados terroristas, como Bruxelas, Nice e Paris, fazendo a ligação com algo que teria acontecido na Suécia.

"Suécia? Ataque terrorista? O que anda ele a fumar?", questionou no Twitter Carl Bildt, ex-primeiro-ministro sueco. O incidente levou também a que o ministério dos Negócios Estrangeiros do país nórdico pedisse explicações ao Departamento de Estado norte-americano.

Além da explicação tuiteira de Trump, a Casa Branca veio também esclarecer que o presidente estava a falar na "subida do crime" em termos gerais e que se estava a referir a "uma reportagem que tinha visto na noite passada".

O que foi para o ar na Fox News foi uma peça com uma entrevista de Tucker Carlson ao realizador Ami Horowitz, "A Suécia teve o seu primeiro ataque terrorista há não muito tempo, por isso estão agora a provar daquilo que tem vindo a acontecer no resto da Europa", disse o cineasta.

Como explica o The New York Times, o ataque em causa deu-se em Estocolmo, foi perpetrado por um cidadão sueco nascido no Iraque e aconteceu em 2010 - antes do início da guerra civil na Síria e antes do início da crise migratória.

Relacionadas

Últimas notícias

Conteúdo Patrocinado

Mais popular