Calou-se a 'voz do râguebi'

Aos 93 anos faleceu esta madrugada o jornalista Serafim Marques, profissionalmente conhecido como Cordeiro do Vale, que teve papel fundamental e marcante na divulgação do râguebi no nossos país através das transmissões, ainda a preto e branco, do Torneio das Cinco Nações

"Phil Bennett chuta... e são mais três pontos para o País de Gales!". Esta expressão que ficará para sempre na memória coletiva e desportiva de Portugal foi introduzida, no final da década de sessenta e início de setenta do século passado, por Cordeiro do Vale, a voz que nas chuvosas tardes de sábado nos meses de fevereiro e março de cada ano nos trazia diretamente de estádios completamente cheios as imagens, ainda a preto e branco e por vezes pouco nítidas, dos sensacionais jogos do Torneio das Cinco Nações.

Num Portugal ainda em ditadura, distante do que melhor havia em termos desportivos fora do futebol, atrasado e por isso também a preto e branco, as transmissões televisivas dessa competição que juntava anualmente as quatros seleções britânicas e a França - só em 2000 se associaria a Itália, passando então o torneio a ter a atual designação de Seis Nações - não só se traduziam numa lufada de ar fresco e modernidade para o país, como também influenciaram gerações e gerações de jovens a procurarem saber mais e, logicamente, a praticar a fantástica modalidade da bola oval.

Jornalista do Diário Popular e da secção de desporto da RTP - que chefiou ao longo de dezenas de anos - Serafim Marques tinha duas enormes paixões desportivas: o râguebi e o atletismo, tendo igualmente acompanhado para a RTP inúmeras competições internacionais desta modalidade.

Mas foi no râguebi que se tornou uma referência e um nome incontornável, quer como educador, formador, treinador (pelas suas mãos passaram centenas de jogadores e muitos deles chegaram a internacionais) e dirigente de clube - iniciou-se em Agronomia mas foi no CDUL, onde era o sócio n.º 2, que mais se salientou, ajudando a fazer dele o clube português de maior sucesso pois muitos dos 19 títulos nacionais dos universitários são do seu tempo - quer como comunicador, em especial na televisão, onde espalhou conhecimento e interesse pelo jogo.

Sabia de râguebi e, principalmente, sabia comunicar todo esse saber. E muitos lhe ficam a dever o seu amor pela modalidade, pois foi com ele que aprenderam a ver râguebi de uma forma imparcial e plena de "fair play".

O râguebi português, e em especial o CDUL, estão de luto com a partida desta grande referência do desporto nacional, um desportista e um cavalheiro de eleição.

A toda a família os mais sinceros sentimentos de pesar e gratidão do DN.

O corpo de Serafim Marques vai esta tarde para a Igreja do Campo Grande onde haverá uma missa pelas 20.30. O enterro será manhã às 14.30 no cemitério dos Olivais.

Últimas notícias

Conteúdo Patrocinado

Mais popular

  • no dn.pt
  • Desporto
Pub
Pub