Citroën C5 X no regresso à tradição de bem viajar

Com uma longa tradição de automóveis ricos em conforto, a Citroën regressa ao segmento superior (D) com um modelo que reúne os principais atributos da marca francesa em termos de elegância, refinamento e funcionalidade, envoltos num conjunto estético peculiar que faz o cruzamento de diferentes filosofias.

Não é SUV na verdadeira aceção da palavra, não é uma berlina e não é uma carrinha. No entanto, é um pouco de tudo isso. O novo C5 X corporiza todas as competências da Citroën em matéria de tecnologias de conforto e de funcionalidade, fazendo parte de uma estratégia de eletrificação que é praticamente incontornável nos tempos que correm - a marca do grupo Stellantis tem como objetivo ser 100% eletrificada em 2025.

Um dos esforços para lá chegar é este novo modelo de um segmento do qual a Citroën esteve ausente, precisamente, desde o final do anterior C5, mas no qual detém fortes raízes, sobretudo com os lendários Traction Avant, DS e SM. Assim, o regresso faz-se com o C5 X, no qual o "X" faz alusão ao cruzamento de estilos, mas também à palavra "Experience", ou experiência. Com 4805 mm de comprimento, 1865 mm de largura, 1485 mm de altura e 2785 mm de distância entre eixos, estas medidas permitem testemunhar as dimensões generosas que beneficiam a habitabilidade, com espaço nos bancos traseiros amplo e acolhedor para dois adultos, mesmo de maior estatura. Bem vincada é também a funcionalidade da bagageira, graças aos 545 litros da bagageira e ao formato retagular e baixo, num requisito fundamental da fase de desenvolvimento.

Em termos de design, a dianteira é inconfundível, com elementos mais verticais e grupos óticos divididos com a ideia gráfica de um "X", destacando-se ainda, quando visto de perfil, a linha de cintura elevada e a traseira com imagem de força devido à configuração das luzes LED e ao spoiler proeminente na tampa da bagageira. As jantes de 19" sublinham a sua presença robusta, enquanto os 194 mm de distância ao solo apontam para a versatilidade de um crossover.

Interior de estilo "lounge"

Se o conforto é uma das palavras-chave no dicionário da Citroën, o interior deste C5 X responde aos objetivos com uma proposta ao género de um "lounge", apostando em filosofia de elegância, serenidade e prazer de vivência a bordo. Na lista de elementos tecnológicos, destaque para o sistema "head-up display" com simulação de informações projetadas em ecrã de 21", a cores e com efeito tridimensional, e para o sistema de infoentretenimento inspirado diretamente pelo mundo dos smartphones, com "widgets" e personalização. Tem por base o ecrã tátil central de 12" com atualizações "Over-The-Air", Android Auto e Apple CarPlay sem fios e navegação conectada com informações em tempo real do estado do trânsito.

Imbuídos do verdadeiro espírito de conforto a bordo, os bancos "Advanced Comfort" do C5 X são apresentados como referências em termos de conforto, por inerência de construção especial que visa um suporte sem mácula dos ocupantes. Mas, o C5 X não seria um verdadeiro apelo ao conforto sem a suspensão ativa "Citroën Advanced Comfort" para a versão híbrida plug-in, que reforça, ainda mais, a sensação de viajar num "tapete voador".

Com três modos à escolha do condutor, o sistema eletrónico de controlo da suspensão reforça a eficácia dos batentes hidráulicos progressivos para maior suavidade: cada amortecedor tem sensores para avaliar os movimentos de carroçaria, a velocidade do veículo e o estado do piso, adaptando assim o amortecimento ao tipo de condução, na busca por um conforto exemplar. Na estrada, esse objetivo é plenamente alcançado, resultando num modelo de méritos inquestionáveis.

Eletrificação em marcha

O C5 X abraça também a tendência da eletrificação, contando com uma versão híbrida plug-in de 225 CV de potência e 360 Nm de binário, fruto da combinação entre o motor 1.6 PureTech a gasolina de 180 CV e um motor elétrico de 81.2 kW (110 CV). O motor de combustão está ainda associado à caixa automática de oito velocidades ë-EAT8. A bateria tem uma capacidade de 12.4 kWh, para uma autonomia estimada 55 km, mostrando-se adaptada a uma grande parte dos trajetos diários dos utilizadores. Grande trunfo, os seus consumos homologados limitam-se a 1,3 l/100 km em modo híbrido e as emissões iniciam-se nos 29 g/km de CO2.

Os tempos de carregamento variam consoante o tipo de carregador de bordo (há de 3.7 kW e de 7.4 kW) e de ponto de ligação, podendo a opção mais rápida ("wallbox" de 32 A) repor toda a carga da bateria em 1h40.

Mas essa não será a escolha única, já que o C5 X dispõe ainda de versões a gasolina 1.2 PureTech de 130 CV e 1.6 PureTech de 180 CV, ambos associados a caixa automática de oito velocidades EAT8.

O novo Citroën C5 X chegará aos concessionários da marca no mês de junho, com cinco níveis de equipamento (um é, na verdade, uma declinação para se adequar aos clientes empresariais): Feel, Feel Business S, Feel Pack, Shine e Shine Pack. Os preços arrancam nos 34.857 € no caso da versão 1.2 PureTech 130 S&S Feel. Já a versão híbrida tem um preço a arrancar nos 44.653 € no nível Feel Pack.

pjunceiro@globalmediagroup.pt

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG