Pasta de dentes da Colgate acusada de provocar cancro vai ser renovada 

Multinacional nega esta situação, mas retirou o elemento triclosan, o alvo das acusações, da sua "receita".

A Colgate prepara-se para lançar no final deste mês uma nova versão da sua pasta de dentes Colgate Total. O novo dentífrico não vai ter triclosan, o elemento que suscitou várias críticas sobre a possibilidade de provocar cancro, segundo o El País.

Grupos de consumidores a que se juntou a Autoridade Farmacêutica Americana afirmam que o triclosan pode ter efeitos negativos na tiroide, pode provocar resistência a antibióticos e pode ainda ter uma relação com o surgimento de cancro.

Confrontada com esta perspetiva, a empresa negou a acusação, defendendo-se com a aprovação do produto por parte da Autoridade Farmacêutica Americana na altura em que este foi sujeito a avaliação. Além disto, "os comités científicos independentes da Comissão Europeia avaliaram o triclosan várias vezes e concluíram que este é um componente seguro para uma pasta dentífrica", afirmou a Colgate.

"O uso de triclosan em pastas de dentes é seguro e foi reconhecido que a Colgate Total proporciona um benefício importante na saúde bucal", acrescenta a empresa.

O dentífrico tinha na sua fórmula 0,3% de triclosan, "um ingrediente antibacteriano que combate os microrganismos nocivos causadores de placa, que estão na origem dos problemas dos problemas de saúde oral mais comuns", pode ler-se no site da marca em portugal.

A Colgate já tinha retirado, em 2011, este componente dos seus sabonetes, alegando mudanças nas preferências dos consumidores.

A pasta de dentes Colgate é uma das mais vendidas no mundo e tem um receita anual de cerca de 2 600 milhões de euros.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG