Web Summit chama mulheres ao palco para tirar fotografia após polémica

Paddy Cosgrave chamou esta quinta-feira mulheres empreendedoras ao palco para tirar uma fotografia, após ter circulado nas redes sociais uma imagem só com homens, entre os quais empresários e políticos

"Na segunda-feira [dia de inauguração], chamei vários empreendedores ao palco para tirar uma fotografia. Queremos voltar a tirar essa fotografia", disse Paddy Cosgrave no palco principal da Web Summit, que termina esta quinta-feira em Lisboa. E pediu: "Se quiserem, juntem-se a mim em palco".

Depois de uma primeira tentativa, o responsável comentou: "Temos de tirar uma segunda fotografia, são demasiadas mulheres". Isso obrigou a atrasos no programa da cimeira, "mas ninguém se importa", considerou Paddy Cosgrave.

Depois das fotografias, tiradas por fotógrafos no evento, ouviram-se aplausos na plateia, constatou a Lusa.

A fotografia de segunda-feira tem circulado nas redes sociais com críticas à organização por promover o empreendedorismo no feminino e naquele dia apenas terem sido incluídos homens na imagem.

A Web Summit, desde logo, tem um programa destinado às mulheres, o Women in Tech, que permite que várias empresárias consigam bilhetes mais baratos para o evento.

A Web Summit termina hoje no Altice Arena (antigo Meo Arena) e na Feira Internacional de Lisboa (FIL), sendo esperados mais de 70 mil participantes de 170 países naquela que é a terceira edição de 13 previstas em Lisboa.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Pedro Lains

Compreender Marques Mendes

Em Portugal, há recorrentemente espaço televisivo para políticos no activo comentarem notícias generalistas, uma especificidade no mundo desenvolvido. Trata-se de uma original mistura entre comentário político e espaço noticioso. Foquemos o caso mais saliente dos dias que correm para tentar perceber a razão dessa peculiaridade nacional. A conclusão é que ela não decorre da ignorância das audiências, da falta de especialistas sobre os temas comentados, ou da inexistência de jornalistas capazes. A principal razão é que este tipo de comentário serve acima de tudo uma forma de fazer política.