Google admite que grava e ouve conversas dos utilizadores

Estação belga revelou gravações diálogos entre pais e filhos, ligações profissionais, discussões e até sons de pessoas a fazer sexo. Google admitiu que tem analistas para ouvir e transcrever conversas.

Sim, o Google grava, ouve e transcreve suas conversas.

Depois de uma reportagem da estação belga Vrt News ter revelado que o Google não só grava conversas do seu assistente virtual pessoal, o Google Assistant, como as transcreve com um grupo de funcionários, a empresa admitiu que analistas contratados pela empresa escutam 0,2% das conversas entre os utilizadores e o Google Assistant.

A revelação foi feita pelo responsável de produtos de buscas do Google, David Monsees, no blogue oficial da empresa como resposta ao documentário belga da Vrt News, que disse ter conseguido acesso a cerca de mil gravações de indivíduos anónimos que usaram o assistente virtual. Os áudios foram enviados à estação belga por um dos analistas contratados pelo Google. A empresa está, segundo o The Guardian , a investigar a fuga de informação.

A função do assistente, segundo a VRT News, era "compreender as particularidades e os sotaques de cada idioma em específico". Algo que David Monsees admite: "A empresa conta com um especialistas no mundo para ouvir e transcrever uma pequena parte dos diálogos para nos ajudar a compreender melhor esses idiomas".

Os áudios ouvidos, segundo o Google, representam apenas 0,2% do total registado pelos sistema e que os fragmentos não são associados às contas dos utlizadores. No entanto, a estação belga foi capaz de identificar endereços e outras informações sensíveis nos áudios, o que permitiu que os jornalistas entrassem em contacto com as pessoas cuja voz havia sido gravada. Os utlizadoresconfirmaram que as gravações eram deles.

Mais uma vez, a Google defende-se afirmando que o assistente virtual só envia gravações após detetar que o utilizador usou um comando específico para ativá-lo, como o "Hey Google", e que o sistema dispõe de várias ferramentas para evitar "ativações falsas". No entanto, a VRT news garante que ouviu conversas nas quais ninguém deu a ordem de ativação para o assistente virtual. Entre outras conversas, a estação afirma ter ouvido nas gravações de diálogos entre pais e filhos, ligações profissionais, discussões e até sons de pessoas a fazer sexo.

Além do Google, outras empresas que oferecem este tipo de serviços - como Amazon, Samsung e Apple - garantem que os diálogos entre os utilizadores e os seus assistentes virtuais são privados, sendo analisados exclusivamente por sistemas de inteligência artificial. No entanto, a desconfiança aumenta.

Exclusivos

Premium

Nuno Severiano Teixeira

"O soldado Milhões é um símbolo da capacidade heroica" portuguesa

Entrevista a Nuno Severiano Teixeira, professor catedrático na Universidade Nova de Lisboa e antigo ministro da Defesa. O autor de The Portuguese at War, um livro agora editado exclusivamente em Inglaterra a pedido da Sussex Academic Press, fala da história militar do país e da evolução tremenda das nossas Forças Armadas desde a chegada da democracia.

Premium

Maria Antónia de Almeida Santos

Dos pobres também reza a história

Já era tempo de a humanidade começar a atuar sem ideias preconcebidas sobre como erradicar a pobreza. A atribuição do Prémio Nobel da Economia esta semana a Esther Duflo, ao seu marido Abhijit Vinaayak Banerjee e a Michael Kremer, pela sua abordagem para reduzir a pobreza global, parece indicar que estamos finalmente nesse caminho. Logo à partida, esta escolha reforça a noção de que a pobreza é mesmo um problema global e que deve ser assumido como tal. Em seguida, ilustra a validade do experimentalismo na abordagem que se quer cada vez mais científica às questões económico-sociais. Por último, pela análise que os laureados têm feito de questões específicas e precisas, temos a demonstração da importância das políticas económico-financeiras orientadas para as pessoas.