Um morto e um ferido ligeiro em acidente no molhe leste do Porto de Sines

O acidente ocorreu nas obras de expansão do molhe de proteção do Porto de Sines quando "o manobrador de uma máquina" niveladora "foi abalroado por uma onda", segundo o Comando Distrital de Operações de Socorro de Setúbal.

Um homem, de 63 anos, morreu e outro sofreu ferimentos ligeiros hoje ao serem arrastados por uma onda nas obras do molhe leste do Porto de Sines (Setúbal), revelaram a Proteção Civil e os bombeiros.

O alerta para o acidente de trabalho, que ocorreu nas obras de expansão do molhe de proteção do Porto de Sines, foi dado às 08:44, tendo o óbito do homem sido declarado no local, indicou à Lusa fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Setúbal.

O acidente ocorreu quando "o manobrador de uma máquina" niveladora "foi abalroado por uma onda", acrescentou o CDOS, referindo que o corpo "foi retirado já sem vida" e transportado para o serviço de Medicina Legal do Hospital do Litoral Alentejano (HLA), no concelho de Santiago do Cacém (Setúbal).

De acordo com a mesma fonte, "o mar arrastou também um outro trabalhador que estava em terra" e que sofreu "ferimentos ligeiros".

Contactado pela agência Lusa, o comandante da Policia Marítima de Sines, Luís Filipe Duarte, avançou que os trabalhos de expansão do molhe leste do Porto de Sines "estavam interrompidos" devido à agitação marítima.

"A máquina foi retirar uma outra que se encontrava no local para não ser arrastada pelo mar quando aconteceu o acidente", indicou a mesma fonte, acrescentando que a vítima "estava dentro" da viatura "quando foi arrastada pelo mar".

O ferido ligeiro, de 46 anos, "sofreu ferimentos na zona da cabeça, mas estava consciente", disse o comandante da Polícia Marítima de Sines, acrescentando que caberá agora à Autoridade para as Condições do Trabalho (ACT), já mobilizada para o local, "investigar as circunstâncias do acidente".

Em comunicado enviado à Lusa, a Administração dos Portos de Sines e do Algarve (APS), explicou que o acidente nas obras de expansão do molhe leste, adjudicada à empresa Conduril, "resultou numa vítima mortal e um ferido grave".

"Uma vaga atingiu um dos equipamentos de trabalho, tendo provocado a queda do mesmo ao mar e originado a morte do condutor do equipamento e causado ferimentos graves noutro trabalhador", precisou.

No mesmo comunicado, a APS "lamenta profundamente o sucedido e endereça sentidas condolências à família enlutada".

Segundo o CDOS, para o local foram mobilizados 15 operacionais dos Bombeiros de Sines, Capitania do Porto de Sines, Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) e autoridade portuária, apoiados por oito veículos.

Segundo o CDOS, para o local foram mobilizados 15 operacionais dos Bombeiros de Sines, Capitania do Porto de Sines, Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) e autoridade portuária, apoiados por oito veículos.

Na quarta-feira, a Autoridade Marítima Nacional (AMN) desaconselhou atividades junto ao mar, nomeadamente em molhes, arribas, praias e falésias, devido ao "agravamento considerável" das condições meteorológicas e de agitação marítima a partir das 18:00 desse dia.

Em comunicado, a AMN avisava que a agitação marítima, entre as 18:00 de quarta-feira e as 18:00 de sexta-feira, é caracterizada por uma ondulação proveniente do quadrante Noroeste, com uma altura significativa que poderá atingir os sete metros e uma altura máxima de 13 metros.

O distrito de Setúbal é um dos 10 que estava esta manhã sob aviso laranja, o segundo mais grave, por causa da agitação marítima, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

O aviso laranja no distrito de Setúbal prolonga-se até 18:00 de hoje, estando previstas ondas de noroeste com 4,5 e 5,5 metros, podendo atingir a altura máxima de 10 metros, segundo o IPMA.

Notícia atualizada às 14:00

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG