Ver hoje como vamos ser daqui a 30 ou 40 anos. Já é possível

Novo programa, que vai ser apresentado este mês em conferência nos Estados Unidos, antevê envelhecimento de algumas caras conhecidas

Olhar para o futuro, para ver hoje o rosto que vamos ter daqui a 20, 30 ou 50 anos já é possível. A chave é num novo programa de computador que usa um algoritmo e a inteligência artificial para produzir essas imagens do futuro. Além deste lado divertido (ou não, conforme os gostos), este sistema pode ser vir a ser um dia utilizado na investigação para encontrar pessoas desaparecidas.

O programa, que foi criado por um grupo de investigadores dos Estados Unidos e vai ser apresentado este mês na Conferência sobre Visão Computacional e Reconhecimento de Padrões, em Salk Late City, nos Estados Unidos, foi desenvolvido com base em dois momentos de "aprendizagem" do sistema.

Primeiro o algoritmo foi ensinado a reconhecer os padrões essenciais dos rostos humanos. E em seguida foi programado para envelhecer as imagens, de acordo com os anos requeridos:10, 20, 30, 40, ou mais.

Durante esta aprendizagem, em que os investigadores usaram mais de cem mil imagens de uma base de dados, o computador fez a comparação sistemática entre as imagens que produzia e as imagens reais das pessoas cada vez com mais idade, e aprendeu a distinguir os padrões através dos quais essa transformação se dá nas imagens verdadeiras. E depois passou a fazer tudo sozinho.

Uma demonstração das possibilidades do programa está nas imagens que ele produziu de duas personalidades bem conhecidas do público: o músico e cantor Justin Timberlake e a atriz Kirsten Dunst. O seu envelhecimento por inteligência artificial impressiona, como se pode ver. Mas fica a dúvida: será que eles gostaram?

Ler mais

Exclusivos