Governo de Timor-Leste foi quem mais contribuiu para o Revita, com 1,2ME

Ao todo contribuíram 35 entidades para o Fundo Revita, das quais 27 com donativos em dinheiro, seis com bens móveis e duas com prestação de serviços

O Governo de Timor-Leste foi a entidade que mais contribuiu para o Fundo Revita, criado para gerir os donativos para as vítimas dos incêndios da zona Centro, com mais de 1,2 milhões de euros.

Este valor corresponde a 32% do total dos donativos em dinheiro recolhidos pelo Revita até 30 de setembro, que ascendem a 3.787.590,31 euros.

De acordo com o primeiro relatório trimestral do fundo, ao todo foram 35 as entidades que formalizaram a adesão, das quais 27 com donativos em dinheiro, seis com bens móveis não sujeitos a registo e duas com prestação de serviços.

O Governo da República Democrática de Timor-Leste contribuiu com 1.249.901,41 euros, os bancos Santander Totta e Europeu de Investimento com 500 mil euros cada e o Banco Comercial Português com 424.485,73 euros.

A Comunidade Intermunicipal da Região de Leiria doou 400 mil euros, a Fundação Montepio 253.626,49 euros, o Banco BPI, SA 147.881,35 euros e da ANA -- Aeroportos de Portugal o Fundo Revita recebeu 70 mil.

Mais de 61 mil euros foram recebidos do Banco de Portugal, a Casa de Portugal em Macau apoiou com 50 mil, o BANQUE BCP, SAS com 37.117, o Grupo Salvador Caetano SGPS com 22.785 e a FNAC Portugal entregou 20.453 ao Fundo Revita.

Foram ainda recebidas contribuições da FBS -- Fundação Social Bancária, da federação Portuguesa de Columbofilia, da Coordenação do Ensino Português no Reino Unido e Ilhas do Canal, do Clube Português A Família e de outras entidades que ou não pretendiam ser identificadas ou doaram valores inferiores a 5 mil euros e, por isso, não aparecem discriminadas no relatório.

Além dos donativos em dinheiro, houve contribuições em bens móveis não sujeitos a registo recebidas de algumas entidades, entre elas a Associação Empresarial de Paços de Ferreira, o IKEA Portugal, a Molaflex Colchões SA, a Samsung Eletrónica Portuguesa SA, a Fundação de Jesus para a Paz no Mundo e os Direitos Humanos e a CS -- Coelho e Silva, SA.

Como doações relativas a prestação de serviços aparecem a Ordem dos Engenheiros e a PwC -- PricewaterhouseCoopers & Associados -- SROC, Lda.

O Fundo Revita foi criado para gerir os donativos para as vítimas dos incêndios na zona Centro do país, o mais grave dos quais deflagrou no dia 17 de junho em Pedrógão Grande, no distrito de Leiria, e provocou pelo menos 64 mortos e mais de 200 feridos.

Este fogo só foi dado como extinto uma semana depois e as chamas alastraram aos concelhos de Castanheira de Pera, Figueiró dos Vinhos, Pampilhosa da Serra, Penela e Sertã.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

O populismo identitário

O tema da coincidência entre Nação-Estado foi intencionalmente considerado um princípio da organização mundial quando o presidente Wilson conseguiu a sua inclusão no estatuto da Sociedade das Nações (SdN), no fim da guerra de 1914-1918, organismo em que depois os EUA decidiram não entrar. Acontece que nação é um termo que, exprimindo de regra, em primeiro lugar, uma definição cultural (costumes, tradições, valores), tem vocação para possuir um território e uma soberania, mas o princípio da SdN não impediu a existência, hoje extinta, da unidade checoslovaca, nem que, atualmente, o Brexit advirta que um eventual problema futuro para o Reino Unido está no facto de não ser um Estado-Nação, e identidades políticas, provavelmente duas ou mais nações, suas componentes, são europeístas.

Premium

Margarida Balseiro Lopes

Legalização do lobbying

No dia 7 de junho foi aprovada, na Assembleia da República, a legalização do lobbying. Esta regulamentação possibilitará a participação dos cidadãos e das empresas nos processos de formação das decisões públicas, algo fundamental num Estado de direito democrático. Além dos efeitos práticos que terá o controlo desta atividade, a aprovação desta lei traz uma mensagem muito importante para a sociedade: a de que também a classe política está empenhada em aumentar a transparência e em restaurar a confiança dos cidadãos no poder político.