Dez toneladas de chocolate a saborear de forma extravagante

O Chocolate em Lisboa reúne cerca de 80 especialistas no Campo Pequeno entre esta quinta-feira e domingo. Nas demonstrações mostra-se que vai bem com atum e até como remédio

"Eu que nem gosto muito de chocolate..." é princípio de frase que não se espera ouvir de um chef e ainda menos quando se trata daquele que amanhã há de abrir O Chocolate em Lisboa, um encontro de amantes deste alimento que fica até domingo no Campo Pequeno e onde João Alves vai mostrar uma entrada com... chocolate. Tataki de atum com pimenta-de-sichuan e lascas de chocolate negro, em rigor. Uma pequena porção das dez toneladas que, calcula a organização, podem passar pelo recinto nos próximos quatro dias.

Ao DN, o chef João Alves mostra outra iguaria, extravagante apenas para quem não está por dentro da história e geografia da gastronomia: foie gras e raspas de chocolate. Improvável? João Alves diz que os franceses já a tentaram. E não só. "Há muita comida com chocolate no México", explica, falando do muito usado molho mole, enquanto pincela coulis de framboesa sobre o prato branco em que vai pousar com minúcia os pedaços de foie gras e as migalhas do bolo de especiarias, a flor de sal, a pimenta-de--sichuan e, finalmente, o chocolate acabado de ralar.

Os gestos do chef, de 38 anos e 15 de experiência, serão repetidos amanhã, a partir das 10.45, no Cacau Lounge no Campo Pequeno (é uma das 28 sessões programadas, sete por dia). A entrada faz parte do menu do Dia dos Namorados que será servido pelo restaurante Praia Caffé, em Oeiras, da empresa de catering BHolding.

Com o S. Valentim ao virar da esquina, o tema estará bem presente por estes dias no Campo Pequeno. "Feromonas à solta", diz Paula Gabriel Mouta, naturopata e nutrigeneticista, que apresenta uma sessão (sábado, 16.45) sobre os benefícios do cacau, da cozinha à beleza e ensina, num workshop (sábado, 13.30), como fazer um exfoliante a partir do chocolate. Do mesmo produto, sempre versão negro, mais de 70% de cacau, mostra ao DN como fazer uma máscara para o rosto. Retira uma pequena quantidade, derretido, adiciona um pouco de vinho tinto, água, argila e mel, usando as propriedades de cada elemento. Aplica-a no rosto do chef João Alves e garante que fica "tonificado". "Como se tivesse passado por uma drenagem linfática ou um botox ligeiro."

Paula Gabriel Mouta usa os alimentos de forma terapêutica há 18 anos e, conta, usou a receita em si mesma há 18 anos, para curar a fibromialgia e a febre reumática. "Eu era uma velhinha de 35 anos", afirma a naturopata, atualmente com 52. Come quatro quadradinhos de chocolate negro por dia. "Há 20 anos que está na lista ORAC [Oxigen Radical Absorvence Capacity]", avisa, referindo a tabela científica dos alimentos antioxidantes. Foi depois de ter ficado doente que começou a dedicar-se à saúde "a 100%", conta.

Nas suas consultas aconselha uma combinação tão inusitada como a de João Alves: dar chocolate a diabéticos. Sempre com teor de cacau superior a 70% e sem açúcar. "A fibra do chocolate auxilia na prevenção dos diabetes." Cita Hipócrates para resumir o seu trabalho: "O teu alimento seja o teu remédio."

Pôr a mão na massa

Quem quiser "pôr as mãos na massa" tem os workshops, como explica outro chef, Luís Ascensão, que pertence à organização de O Chocolate em Lisboa. Fazer bombons saudáveis, aprender mais sobre as combinações de chocolate e vinho com o crítico gastronómico Fernando Melo, usar uma máquina bean to bar (que transforma os grãos em barra) e, ainda que nada tenha que ver com chocolate (mas com o São Valentim), um workshop Arte do Burlesco e Sedução (sábado, às 19.30).

Mais entendidas ou apenas curiosas, João Alves garante que todo o tipo de pessoas procuram conhecer mais sobre chocolate nestes dias. Luís Ascensão estabelece um objetivo: "Esperamos ultrapassar os números do ano passado, 30 mil pessoas."

Ao todo, há 76 expositores de marcas e produtores de chocolates portugueses mas também de outros países (Peru, Venezuela, França, Bélgica, Áustria, Itália, Espanha, Vietname, Madagáscar, Brasil e Suíça). Hoje, às 17.00, são premiadas as três melhores criações entre os 19 participantes que se inscreveram no concurso levado a cabo por O Chocolate em Lisboa.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG