Cuidador detido em Lisboa por furtar dinheiro de contas bancárias de idosos

O homem, detido através de mandado de detenção fora de flagrante delito, foi presente a primeiro interrogatório judicial, tendo ficado em prisão preventiva, a medida de coação mais gravosa.

Um homem foi detido em Marvila, Lisboa, na sexta-feira, por levantar todo o dinheiro para as despesas mensais de uma idosa de quem começara a cuidar recentemente, depois de lhe furtar o cartão bancário, revelou esta quinta-feira a PSP.

Numa nota, a PSP informou que o suspeito, com 32 anos e a viver em Portugal apenas desde maio, já teria cometido crimes semelhantes enquanto cuidava de outro idoso.

Segundo a PSP, o homem iniciou funções como cuidador na residência de uma idosa de 85 anos e da sua filha, uma mulher de 50 anos de idade com incapacidade por doença.

"O arguido, após acompanhar a idosa às compras, de forma astuciosa ficou a conhecer o PIN do cartão. Ainda nesse dia, momentos antes de abandonar a residência, furtou o cartão MB da lesada e dirigiu-se ao multibanco onde procedeu a dois levantamentos de 200 euros, cada. Após a meia-noite, voltou ao multibanco procedendo ao levantamento de 30 euros, deixando na conta da lesada apenas 18 cêntimos", explicou.

A vítima, que ficou sem todo o dinheiro que teria disponível para os gastos diários e medicação da filha até receber a próxima pensão, apresentou queixa na polícia, a quem revelou suspeitar do recente cuidador da família.

Durante uma busca domiciliária ao suspeito foi encontrado o cartão MB e, escondidos entre o calçado, os 430 euros levantados, que foram devolvidos à proprietária.

"Na continuidade da pesquisa e análise de informação foi possível verificar que o suspeito, apesar do pouco tempo a residir em Portugal, já teria efetivado crimes semelhantes enquanto cuidador de um outro idoso", sublinhou a PSP.

O homem, detido através de mandado de detenção fora de flagrante delito, foi presente a primeiro interrogatório judicial, tendo ficado em prisão preventiva, a medida de coação mais gravosa.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG