Vieira da Silva: "Este é um acordo que traz maior estabilidade, menor precariedade"

Vieira da Silva garantiu na cerimónia de assinatura do Acordo de Concertação Social que este se compromete com o reforço da administração do Trabalho

"Este é um acordo em que o Governo se compromete no reforço da Administração do Trabalho, porque sem uma Administração do Trabalho eficaz a legislação torna-se um instrumento frágil e por vezes ineficaz", disse o ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social nesta terça-feira, citado pelo Jornal Económico, anunciando que vai ser criada uma unidade para esse reforço.

Vieira da Silva garantiu na abertura da cerimónia de assinatura do Acordo de Concertação Social entre os parceiros sociais, que não conta com a CGTP e que ainda será votado pelos partidos no Parlamento, que este acordo "traz maior estabilidade, menor precariedade e percursos profissionais mais sólidos e mais consistentes".

Entre os traços principais do acordo contam-se a construção de "um quadro mais favorável para os percursos profissionais para a generalidade daqueles que trabalham em Portugal", a promoção da "negociação coletiva" e do "diálogo nas empresas e nos setores", além do "reforço da administração do trabalho".

"Sabemos que a economia e a sociedade portuguesa viveram anos muito difíceis do ponto de vista da negociação coletiva. Os passos que demos, alguns considerarão insuficientes, mas são passos no sentido certo", afirmou ainda, citado pela mesma fonte.

Exclusivos