Marcelo teve mais votos em todos os distritos: veja o mapa

No Norte e no Centro o domínio foi esmagador, mas até em Beja o futuro Presidente da República foi o candidato que recebeu mais votos

De norte a sul e nas ilhas, Marcelo Rebelo de Sousa foi o candidato que mais votos recolheu em todos os distritos do país. No Norte e no Centro as votações foram esmagadoras, com maioria absoluta em quase todos os distritos. Viseu foi o distrito em que obteve o melhor resultado, com 62,66%, acima dos valores de Bragança, Vila Real e Leiria, em que também superou os 61% dos votos.

Sampaio da Nóvoa fez melhor do que Manuel Alegre em vários distritos, sem que esses votos permitissem impedir a vitória do adversário à primeira volta. Marisa Matias teve bons resultados, batendo Edgar Silva em quase todos os distritos - exceções são Madeira, Beja e Évora. O candidato, com o apoio do PCP, teve um mau resultado. O melhor que conseguiu foi na Madeira, sua terra, onde foi segundo, e em Beja, terceiro com 15%. Maria de Belém foi um desastre em todos os distritos e foi mesmo batida por Vitorino Silva no Porto e em Viana do Castelo.

Professor bateu o reitor na capital dos estudantes

Marcelo Rebelo de Sousa não teve problemas em bater Sampaio da Nóvoa em Coimbra. Na capital dos estudantes, o professor obteve 50,2%, mais 27 pontos percentuais do que o ex-reitor da Universidade de Lisboa. Apesar de a percentagem de Marcelo ser inferior à de Cavaco Silva há cinco anos (teve 52%), o atual presidente teve quase menos dez mil votos do que aquele que será o seu sucessor. Já Sampaio da Nóvoa teve mais cinco mil votos do que Manuel Alegre em 2011. Em Coimbra, como a nível nacional, Marisa Matias foi a terceira (14%) - só no concelho de Condeixa-a-Nova conseguiu bater Nóvoa. Maria de Belém foi quarta (4,6%), seguida de Vitorino Silva (2,6%) e Edgar Silva (2,2%).

Celorico de Basto deu a vitória mais expressiva

Em Braga, Marcelo Rebelo de Sousa conquistou uma vitória inequívoca, tendo superado a votação alcançada por Cavaco Silva em 2011 - Marcelo teve agora 244 090 votos, Cavaco obteve 222 444 há cinco anos. Na terra das suas origens, Celorico de Basto, chegou ao seu melhor score num concelho: 81,90%, correspondente a 8219 votos. Nos 14 concelhos, Marcelo teve maioria, com Vizela a ser o único em que não superou os 50% (49,95%). Sampaio da Nóvoa foi o segundo candidato mais votado, e superou mesmo a votação que Manuel Alegre registou há cinco anos. Marisa Matias ficou em terceiro, com mais de 34 mil votos, uma enorme diferença para o candidato Edgar Silva, que só conseguiu 7670 votos.

Beja. A vitória pela margem mais escassa de votos

Contrariando a média nacional, a margem de vitória de Marcelo Rebelo de Sousa foi mínima neste distrito e esta deu-se com 31,71%. O vencedor destas eleições conseguiu apenas mais 0,24% - 141 votos - do que Sampaio da Nóvoa, segundo candidato mais votado num distrito que registou 60 925 votantes. Também em 2011 a vitória de Cavaco Silva se registou com uma margem mínima, embora maior, de cerca de 7%. Francisco Lopes, então candidato do PCP, foi o segundo mais votado, com 26,44% dos votos. Nestas eleições, o comunista Edgar Silva foi o terceiro candidato mais votado, registando 15,58%. Contrariou, ainda assim, os resultados nacionais, em que ficou em quinto lugar.

Lisboa. A capital sorriu para Marcelo. Nóvoa melhor do que Alegre

Não chegou à maioria absoluta em Lisboa, mas Marcelo Rebelo de Sousa ficou lá muito perto, alcançando 49,77% dos votos, um resultado ligeiramente superior ao conseguido há cinco anos por Cavaco Silva (48,59%). Quem também se deve orgulhar do resultado alcançado é Sampaio da Nóvoa, que relativamente a Manuel Alegre, o segundo classificado das Presidenciais de 2011, conseguiu mais 4,04% dos votos expressos. Na capital portuguesa, a derrota de Maria de Belém foi também bastante evidente, tendo ficado muito atrás de Marisa Matias. A candidata apoiada pelo Bloco de Esquerda ficou com 10,04%, enquanto a ex-presidente do PS não foi além dos 4,49%.

Leiria. Vitória esmagadora de Marcelo e Vitorino no top 5

Sem margem para dúvidas. Marcelo Rebelo de Sousa alcançou uma vitória esmagadora no distrito de Leiria, ultrapassando 60% dos votos expressos em urna. Acaba por ser uma margem esperada, pois, tendo em conta as Presidenciais de 2011, Cavaco Silva havia conseguido um resultado deste género, obtendo 61,64%. De resto, a principal surpresa vai para o facto de Vitorino Silva ter sido o quinto candidato mais votado (2,97%), à frente do concorrente apoiado pela CDU, que não foi além dos 2,01%. Sampaio da Nóvoa foi o segundo mais votado (17,02%), tendo Marisa Matias superado por larga margem Maria de Belém: 9,48% para a candidata do Bloco de Esquerda, 3,16% para a socialista.

Porto. Vitorino Silva com melhor resultado que Maria de Belém

Marcelo Rebelo de Sousa foi mais votado em todos os concelhos do distrito do Porto, embora em muitos não tenha chegado à maioria absoluta. Fez melhor do que Cavaco Silva em 2011 em número de votos, apesar de a percentagem ser inferior. Mas Vitorino Silva foi o candidato mais surpreendente neste distrito, tendo ficado em quarto lugar à frente de Maria de Belém. No seu concelho, Penafiel, foi o segundo mais votado, só superado por Marcelo. Tino mereceu a confiança de 8212 eleitores e na sua freguesia de Rans foi mesmo o vencedor incontestado com 60%, contra 27,3% de Marcelo. Sampaio da Nóvoa fez melhor do que Alegre, enquanto Marisa Matias superou os 84 mil votos.

Viseu. Maior percentagem do país no bastião do cavaquismo

No emblemático bastião do cavaquismo, Marcelo Rebelo de Sousa foi o herdeiro perfeito de Cavaco Silva. O professor conquistou 103 mil votos (63%, a percentagem mais elevada a nível nacional quando comparados os distritos), apenas menos 180 que o candidato apoiado pelo PSD há cinco anos. Sampaio da Nóvoa foi segundo com 19% dos votos. Em três concelhos (Satão, Sernancelhe e Vila Nova de Paiva), Rebelo de Sousa conseguiu mais de 70% dos votos. Marisa Matias foi terceira, com 7%. Vitorino Silva teve 4% e foi quarto, obtendo mais 731 votos que Maria de Belém e conseguindo ser terceiro em dois concelhos (Cinfães e S. João da Pesqueira). Edgar Silva foi sétimo, atrás de Paulo Morais.

Madeira. Madeirense Edgar Silva ficou em segundo

A maior singularidade na região autónoma em que Marcelo Rebelo de Sousa venceu com 51,35% dos votos - 58 423 num universo de 256 058 votantes - é o segundo lugar de Edgar Silva. O candidato do PCP, natural do Funchal, obteve 19,70 %, ultrapassando os 11,27% do terceiro candidato mais votado, Sampaio da Nóvoa, que a nível nacional ficou em segundo lugar. Marisa Matias obteve o quarto lugar. Confrontada com as eleições anteriores, a vitória de Marcelo foi superior à de Cavaco Silva, então de 44,01% dos votos. Em 2011, José Coelho, ex-deputado da Nova Democracia da Madeira, ficava em segundo lugar com 39,01% dos votos, seguido da candidatura independente de Manuel Alegre.

Açores. Grande vitória de Marcelo na maior abstenção no país

Marcelo Rebelo de Sousa venceu nos Açores com 58,07%, uma percentagem superior àquela que lhe valeu a vitória nestas eleições. Dos 70 522 votantes, 39 811 deram o seu voto a Marcelo. A Região Autónoma dos Açores registou a maior abstenção do país (69,08%): dos 228 087 inscritos, apenas 70 522 foram às urnas. Seguiu--se Sampaio da Nóvoa, com 21,54%, Marisa Matias e Maria de Belém, posições que coincidem com o resultado final destas eleições. Destaca-se o quinto lugar de Vitorino Silva com 2,22% dos votos, à frente do comunista Edgar Silva (1,32%). Face às eleições anteriores, a vitória de Marcelo foi superior à de Cavaco Silva (56,04%). Em segundo lugar ficava Manuel Alegre (25,13%).

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG