Marcelo diz que escolha de Guterres é "razão de júbilo"

Presidente da República diz que "o patriotismo faz-se" de vitórias como a de António Guterres para secretário-geral da ONU.

A escolha de António Guterres para secretário-geral da ONU é "um dia de júbilo para Portugal e também representa uma razão de júbilo" para a comunidade internacional, afirmou esta quarta-feira o Chefe do Estado.

Marcelo Rebelo de Sousa, ladeado pelo presidente da Assembleia da República e pelo primeiro-ministro, falava na cerimónia de condecorações que encerra as comemorações oficiais do 5 de Outubro, em que se celebra a implantação da República.

"O patriotismo faz-se disto", com a candidatura de António Guterres a traduzir um movimento de "unidade nacional" em torno da sua figura, "a solidariedade" entre os órgãos de soberania e os partidos políticos, "a excelência" da diplomacia portuguesa e "os méritos" do candidato, enfatizou o Presidente da República.

Marcelo Rebelo de Sousa destacou ainda este momento "de júbilo" pelo que significa de "reconhecimento interno e sobretudo externo dos melhores para o desempenho" de cargos internacionais, sendo "neste caso do melhor".

O Conselho de Segurança anunciou hoje que o português é o "vencedor claro" da votação, recebendo 13 votos de encorajamento (em 15 votos), sem qualquer veto.

Este órgão, com poder de veto, deverá aprovar na quinta-feira uma resolução a indicar o nome de António Guterres para a Assembleia-Geral das Nações Unidas, formalizando assim a eleição do sucessor de Ban Ki-moon.

Guterres deverá assim liderar, a partir de janeiro, uma casa que conhece bem, depois de ter chefiado o Alto-Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), entre junho de 2005 e dezembro de 2015, uma organização com cerca de 10.000 funcionários em 125 países.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG