Campo das Cebolas reabre sábado com concertos

Os HMB é um dos grupos que vai animar a reinauguração da praça lisboeta que esteve fechada por motivo de obras de requalificação. A festa acontece é gratuita e acontece a partir das 16:00

A reabertura do Campo das Cebolas, após as obras de requalificação e de construção de um parque de estacionamento, é assinalada no sábado à tarde com atividades lúdicas e concertos.

"Terminadas as obras no Campo das Cebolas, com a requalificação do espaço público e a construção de um parque de estacionamento subterrâneo com 206 lugares, é tempo de os lisboetas desfrutarem de mais um pedaço da frente ribeirinha", informou em comunicado a Câmara de Lisboa.

A mesma nota da câmara acrescentou que "a convivência entre o passado e o presente, uma das componentes da própria cidade de Lisboa, foi um dos objetivos centrais do projeto da autoria do arquiteto Carrilho da Graça".

"Onde antes existia um parque de estacionamento selvagem, há agora um amplo jardim e um parque infantil, com vista para o rio Tejo e é possível constatar a profunda requalificação do espaço pedonal junto à Casa dos Bicos", frisou a autarquia.

Na sequência da conclusão dos trabalhos, o Campo das Cebolas reabre com novas funções, com a possibilidade de se "ver o que os sedimentos e muitas construções haviam escondido": "um cais, sucessivamente reconstruído ao longo de mais de dois séculos, uma escadaria que hoje pode ser percorrida, uma muralha que nos conta onde o rio se encontrava, mais próximo de terra".

A agenda de espetáculos

A reabertura do espaço público vai ser assinalada, no sábado, "com várias atividades", sob o convite "A Rua é Sua - Venha descobrir o novo Campo das Cebolas", a partir das 16:00, incluindo dois concertos, com entrada livre, de Ricardo Ribeiro e Filipa Cardoso (às 16:30) e da banda HMB (18:00).

A requalificação do Campo das Cebolas, iniciada em outubro de 2015, sofreu atrasos devido à descoberta de vestígios arqueológicos, incluindo de um cais pombalino, cerâmica e duas embarcações.

O presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina (PS), em novembro de 2017, na cerimónia de inauguração do novo terminal de cruzeiros de Santa Apolónia, salientou que as intervenções junto ao rio representam "um investimento estratégico na concretização de uma ambição antiga da cidade, de requalificação de toda a zona da frente ribeirinha".

O autarca notou que, no atual mandato autárquico, será prolongado o trabalho de requalificação da frente ribeirinha "até Santa Apolónia e depois tendencialmente até à Expo, procurando no fundo que haja um contínuo pedonal entre Belém e o Parque das Nações, também com meios suaves de mobilidade".

Ler mais

Exclusivos

Premium

Pedro Lains

"Gilets jaunes": se querem a globalização, alguma coisa tem de ser feita

Há muito que existe um problema no mundo ocidental que precisa de uma solução. A globalização e o desenvolvimento dos mercados internacionais trazem benefícios, mas esses benefícios tendem a ser distribuídos de forma desigual. Trata-se de um problema bem identificado, com soluções conhecidas, faltando apenas a vontade política para o enfrentar. Essa vontade está em franco desenvolvimento e esperemos que os recentes acontecimentos em França sejam mais uma contribuição importante.