Despeça-se do sol. Chuva e trovoada estão de regresso

Esta terça e quarta-feira ainda vai estar sol, mas a partir de quinta-feira é esperada chuva, em especial no interior

A instabilidade atmosférica, com condições favoráveis à ocorrência de aguaceiros e trovoada, em especial nas regiões do interior, regressa ao continente a partir de quinta-feira, adiantou à Lusa a meteorologista Patrícia Gomes.

De acordo com a especialista do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), hoje e quarta-feira prevê-se céu pouco nublado ou limpo, apresentando-se muito nublado nas regiões Norte e Centro e no litoral da região Sul até meio da manhã, nebulosidade que deverá persistir durante a tarde em alguns locais a norte do Cabo Raso, onde há possibilidade de ocorrência de precipitação fraca até ao meio da manhã.

"Durante a tarde, vamos ter um aumento de nebulosidade no interior Norte, onde há condições favoráveis à ocorrência de aguaceiros e trovoada. O vento vai soprar em geral fraco, tornando-se moderado. Prevê-se também neblina ou nevoeiro matinal, em especial no interior, pequena descida da temperatura mínima e subida da máxima", disse.

Na quinta e sexta-feira e na "sequência de uma região depressionária com vários núcleos e com expressão em altitude regressa a instabilidade atmosférica com condições favoráveis à ocorrência de aguaceiros e trovoada, em especial nas regiões do interior", adiantou Patrícia Gomes.

"Esta instabilidade deve-se à presença de uma região depressionária que influencia o estado do tempo trazendo a possibilidade de aguaceiros e trovoadas. Já no que diz respeito às temperaturas não estão previstas grandes variações. De um modo geral as máximas serão inferiores a 30 graus Celsius, apenas em algumas regiões do interior e do Alentejo podem chegar aos 31/32 graus", disse.

Na quinta e sexta-feira, indicou a meteorologista, a temperatura mínima deverá variar entre 12 e 16 graus e a máxima entre 22 e 26 graus nas regiões do litoral, esperando-se valores entre 26 e 29 nas regiões do interior.

"Ainda assim estão dentro do normal para a época, apenas em alguma região ou outra em que as temperaturas estão abaixo do que é normal para a época do ano", disse.

A situação deverá manter-se durante o fim de semana, segundo o IPMA.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Nuno Artur Silva

Notícias da frente da guerra

Passaram cem anos do fim da Primeira Guerra Mundial. Foi a data do Armistício assinado entre os Aliados e o Império Alemão e do cessar-fogo na Frente Ocidental. As hostilidades continuaram ainda em outras regiões. Duas décadas depois, começava a Segunda Guerra Mundial, "um conflito militar global (...) Marcado por um número significativo de ataques contra civis, incluindo o Holocausto e a única vez em que armas nucleares foram utilizadas em combate, foi o conflito mais letal da história da humanidade, resultando entre 50 e mais de 70 milhões de mortes" (Wikipédia).

Premium

nuno camarneiro

Uma aldeia no centro da cidade

Os vizinhos conhecem-se pelos nomes, cultivam hortas e jardins comunitários, trocam móveis a que já não dão uso, organizam almoços, jogos de futebol e até magustos, como aconteceu no sábado passado. Não estou a descrever uma aldeia do Minho ou da Beira Baixa, tampouco uma comunidade hippie perdida na serra da Lousã, tudo isto acontece em plena Lisboa, numa rua com escadinhas que pertence ao Bairro dos Anjos.

Premium

Rui Pedro Tendinha

O João. Outra vez, o João Salaviza...

Foi neste fim de semana. Um fim de semana em que o cinema português foi notícia e ninguém reparou. Entre ex-presidentes de futebol a serem presos e desmentidos de fake news, parece que a vitória de Chuva É Cantoria na Aldeia dos Mortos, de Renée Nader Messora e João Salaviza, no Festival do Rio, e o anúncio da nomeação de Diamantino, de Daniel Schmidt e Gabriel Abrantes, nos European Film Awards, não deixou o espaço mediático curioso.