Descongelamento das carreiras vai ser feito em dois anos

BE e PCP reclamavam descongelamento das progressões nesta legislatura. Governo cedeu

O descongelamento das progressões na Administração Pública vai ser feito até 2019. O governo cedeu àquela que era uma das principais pretensões de BE e PCP nesta matéria e acordou hoje com os parceiros que o processo de atualização ficará concluído até 2019 e não até 2021, como era intenção inicial do executivo.

De acordo do fonte próxima das negociações o quadro de descongelamento que está agora em cima da mesa atira a última atualização para outubro de 2019, mesmo no final da atual legislatura - e, previsivelmente, em cima das próximas eleições legislativas.

Em causa estão as progressões nas carreiras da Função Pública, que estão congeladas desde 2011. De acordo com o Jornal de Negócios, que avançou a notícia, o impacto orçamental da medida será dividido entre 2018 e 2019, mas não em partes iguais - no próximo ano será pago o equivalente a um terço do acréscimo remuneratório.

A agência Lusa, citando fonte do governo, avança que os trabalhadores em condições para progredir serão colocados em 2018 na posição remuneratória a que têm direito, mas recebendo apenas uma percentagem do valor que lhes é devido, sendo o restante pago depois.

Por fechar está ainda o universo de abrangidos por esta medida, mantendo-se a hipótese de ficarem de fora carreiras que tiveram progressões nos últimos anos, caso dos polícias ou dos médicos.

Ler mais

Exclusivos