Combate cerrado ao populismo no discurso de Marcelo

Marcelo Rebelo de Sousa fez na necessidade de prevenir a ascensão dos populismos um tema central do seu discurso

Aplaudido no final, de pé, pelo PSD, PS e CDS - os restantes deputados mantiveram-se sentados e sem aplaudir, o Presidente da República defendeu a necessidade de "renovação do sistema político" para prevenir o populismo.

A classe política, disse, precisa de valorizar a necessidade de "permanente proximidade dos cidadãos" porque é o mais importante para evitar discursos anti-sistema que abalam o equilíbrio dos poderes.

Marcelo considerou ainda que é preciso não confundir o "patriotismo com hipernacionalismos xenófobos" nem confundir "o prestígio nem a popularidade mais ou menos conjuntural de um ou mais titulares de poder com endeusamento ou vocação salvífica". Foi isso - recordou - que há um século conduziu o país para um regime ditatorial. Neste contexto, falou também da necessidade de se combater eficazmente corrupção

Três outros temas marcaram o discurso presidencial: o papel das Forças Armadas, a criação sustentada de crescimento e emprego e as questões europeias. Neste aspeto afirmou que "a Europa perdeu sempre em dividir-se e ganhou pouco em unir-se, em convergir".

Em atualização

Ler mais

Exclusivos

Premium

Brexit

"Não penso que Theresa May seja uma mulher muito confiável"

O diretor do gabinete em Bruxelas do think tank Open Europe afirma ao DN que a União Europeia não deve fechar a porta das negociações com o Reino Unido, mas considera que, para tal, Theresa May precisa de ser "mais clara". Vê a possibilidade de travar o Brexit como algo muito remoto, de "hipóteses muito reduzidas", dependente de muitos fatores difíceis de conjugar.