Bolos-rei no lixo à porta da Padaria Portuguesa. A marca vai investigar

Fotografia partilhada nas redes sociais mostra bolos-rei no lixo à porta de uma Padaria Portuguesa

A fotografia partilhada na manhã de hoje, Dia de Natal, nas redes sociais mostra um balde de lixo cheio de bolos-rei à porta da Padaria Portuguesa na Graça, em Lisboa. A loja está encerrada e depreende-se que os bolos serão sobras daquele estabelecimento.

As críticas não se fizeram esperar. "Espírito natalício da Padaria Portuguesa no seu melhor...", lê-se numa publicação. "Inacreditável", diz outro comentário.

Várias pessoas partilharam essa mesma fotografia no Facebook oficial da Padaria Portuguesa, que tem respondido aos vários comentários dizendo que a imagem mostra algo que "não se coaduna" com a política e os valores da marca. "Diariamente oferecemos as sobras de todas as lojas a organizações e associações, nomeadamente a Refood e Comunidade Vida e Paz", explicam.

A Padaria Portuguesa garante que vai investigar o caso: "Infelizmente a loja da Graça não aplicou as diretrizes que lhe foram transmitidas pelo que iremos proceder a uma analise interna de forma a apurar responsabilidades e tomar as devidas medidas corretivas."

A Padaria Portuguesa é uma cadeia de restauração que iniciou a sua atividade em 2010. Neste momento, e de acordo o site da empresa, a marca tem 40 lojas e 980 colaboradores. Só desde o início do ano abriram em Lisboa 11 novos espaços da Padaria Portuguesa. Primeiro na Rua da Prata, a número 50 em Alfragide, depois na Almirante Reis, no Strada Outlet, Fórum Oeiras, no Marquês de Pombal , Alto dos Moinhos, Alvalade, Campo Mártires da Pátria, Algés e o último, já este mês, em Picoas.

Ler mais

Premium

Anselmo Borges

"Likai-vos" uns aos outros

Quem nunca assistiu, num restaurante, por exemplo, a esta cena de estátuas: o pai a dedar num smartphone, a mãe a dedar noutro smartphone e cada um dos filhos pequenos a fazer o mesmo, eventualmente até a mandar mensagens uns aos outros? É nisto que estamos... Por isso, fiquei muito contente quando, há dias, num jantar em casa de um casal amigo, reparei que, à mesa, está proibido o dedar, porque aí não há telemóvel; às refeições, os miúdos adolescentes falam e contam histórias e estórias, e desabafam, e os pais riem-se com eles, e vão dizendo o que pode ser sumamente útil para a vida de todos... Se há visitas de outros miúdos, são avisados... de que ali os telemóveis ficam à distância...