Morte de José Eduardo dos Santos. Governo português apresenta condolências e lembra crescimento de Angola

"Durante a sua presidência, Angola trilhou um caminho de crescimento e consolidação", escreve o executivo liderado por António Costa.

O Governo português disse esta sexta-feira que "lamenta a morte" do antigo Presidente da República de Angola e acrescenta que durante a sua presidência o país cresceu e consolidou-se internacionalmente, fortalecendo os laços com Portugal.

"O Governo Português lamenta a morte do antigo Presidente da República de Angola, José Eduardo dos Santos, e apresenta condolências à família e à Nação angolana neste momento de luto nacional", lê-se na nota.

"Durante a sua presidência, Angola trilhou um caminho de crescimento e consolidação, incluindo no panorama internacional e no espaço lusófono, ao mesmo tempo que se continuaram a fortalecer os laços entre Portugal e Angola", conclui o comunicado.

José Eduardo dos Santos morreu hoje aos 79 anos numa clínica em Barcelona, Espanha, após semanas de internamento, anunciou a presidência angolana, que decretou cindo dias de luto nacional.

Eduardo dos Santos governou Angola entre 1979 e 2017, tendo sido um dos Presidentes a ocupar por mais tempo o poder no mundo e era regularmente acusado por organizações internacionais de corrupção e nepotismo.

Em 2017, renunciou a recandidatar-se e o atual Presidente, João Lourenço, sucedeu-lhe no cargo, tendo sido eleito também pelo Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA), que governa no país desde a independência de Portugal, em 1975.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG