Sucessor de Varoufakis reúne-se com Mário Centeno

O ministro das Finanças grego esteve hoje reunido em Lisboa com o seu homólogo português, tendo analisado o momento económico em ambos os países

Euclid Tsakalotos, que sucedeu na pasta das Finanças do governo do Syriza ao controverso Yanis Varoufakis, esteve reunido esta tarde em Lisboa com Mário Centeno, tendo os dois ministros discutido a conjuntura em ambos os países e sua ligação com a situação geral na União Europeia (UE).

O ministro grego detalhou ao homólogo português as políticas e medidas aprovadas, aplicadas e por aplicar no seu país no quadro do terceiro resgate concedido ao governo de Atenas.

Foi decidido o estabelecimento de uma agenda luso-grega para certos temas e problemas que foram identificados como sendo comuns a ambos os países.

Questões como a união bancária, as políticas de investimentos e o desemprego nos dois países, e formas de o combater, foram igualmente discutidas pelos dois ministros, que defenderam a necessidade de uma estratégia bilateral comum a defender em Bruxelas.

Lisboa foi a segunda etapa da viagem de Tsakalotos por quatro capitais europeias, tendo estado sexta-feira em Roma. Após a capital portuguesa, o ministro grego estará amanhã em Paris, seguindo depois para Berlim.

Reforma do sistema de pensões

A viagem de Tsakalotos antecede a primeira avaliação das medidas tomadas no quadro do terceiro resgate à Grécia, estando ainda prevista para terça-feira um encontro com o presidente do Eurogrupo, Jeroen Dijsselboem. Este antecipou no final da semana que a avaliação poderia prolongar-se por meses e que esta só seria positiva se houvesse "acordo em todas as questões em aberto". O presidente do Eurogrupo identificou como o tema mais complexo a reforma do sistema de pensões, em que o governo de Alexis Tsipras mantém ainda posições distantes das sustentadas pelos credores. Estes pretendem a fusão dos atuais seis fundos de pensão num só e a redução em 30% de todas as pensões futuras. O limite mínimo deve ser de 384 euros/mês e um máximo de 2300/euros.

A média atual é de 850/mês, referia recentemente a Reuters. A reforma do sistema de pensões deve ser discutido na próxima semana pelo Parlamento de Atenas.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG