Presidente do Supremo manda investigar queixas contra Kavanaugh

Brett Kavanaugh foi nomeado para o Supremo norte-americano, mas agora paira sobre ele um inquérito sobre se terá violado a ética judicial durante a sua audição no Senado.

O presidente do Supremo Tribunal dos EUA pediu ao tribunal de recurso do décimo circuito para analisar uma dúzia de queixas contra Brett Kavanaugh, o mais recente membro do Supremo. Em causa está o comportamento do juiz durante a audição no Senado - que o nomearia ou não para o cargo -, que foi considerado por mais de 2400 professores de direito como pouco judicial. Este circuito vai analisar se Kavanaugh violou ou não a ética durante a audição.

Os professores de direito consideram que Kavanaugh mostrou "falta de temperamento judicial que seria desqualificante para qualquer tribunal", cita a Forbes. A forma como o juiz esteve durante a audição a 27 de setembro levou também o antigo presidente do Supremo John Paul Stevens a defender publicamente que ele "não tem condições para ser membro do Supremo".

Cabe aos juízes analisarem se a postura confrontacional e zangada que Brett Kavanaugh assumiu durante a audição, viola a ética judicial. O juiz nomeado para analisar as queixas apresentadas foi Timothy M. Tymkovich, o presidente do décimo circuito, que agora pode decidir se é ele próprio que trata do caso, se arquiva ou se nomeia um comité especial.

Esta é a primeira vez que um presidente do Supremo considera que vale a pena rever queixas contra um juiz nomeado. Apesar disso, tecnicamente o Supremo não se rege pelas mesmas regras de comportamento citadas agora nas queixas.

Exclusivos

Premium

Livro

Antes delas... ninguém: mulheres que desafiaram o domínio masculino

As Primeiras - Pioneiras Portuguesas num Mundo de Homens é o livro com as biografias de 59 mulheres que se atreveram a entrar nas profissões só de homens. O DN desvenda-lhe aqui oito dessas histórias, da barrista Rosa Ramalho à calceteira Lurdes Baptista ou às 'Seis Marias' enfermeiras-paraqueditas, entre outras