Mural de apoio ao grupo de protesto Extinction Rebellion parece obra de Bansky

Em Marble Arch, Londres, onde o grupo está em protesto há 11 dias contra a inação dos políticos em relação às alterações climáticas, surgiu da noite para o dia um mural à Bansky. Há quem diga que é mesmo dele

É uma imagem que se assemelha nas suas características ao trabalho de Bansky, o mais celebrado - e o mais enigmático, também - dos artistas de pinturas murais. Junto a uma menina, que está de joelho em terra, com um objeto na mão que ostenta o símbolo do grupo Extinction Rebellion, uma frase proclama: "A partir deste momento o desespero termina, e a estratégia começa".

Bansky não confirmou que é obra sua, mas o grupo anunciou que a pintura foi feita pelo famoso artista de Bristol, Reino Unido, e há estudiosos da sua obra que garantem que o mural é mesmo dele. Pelo estilo, pela própria pintura e pela natureza do próprio protesto.

John Brandler, galerista e colecionador de obras de Bansky, é um deles. "O nome no canto [a falta dele, o mural não está assinado, pelo menos que se veja] não é importante, a assinatura é o trabalho em si mesmo", afirmou o especialista, citado no The Guardian, sublinhando que esta "é uma maravilhosa afirmação, e uma peça bela".

A pintura mural surgiu da noite para o dia, nesta sexta-feira, em Marble Alch, em Londres, no local onde os ativistas do Extinction Rebellion acamparam nas últimas duas semanas, e de onde têm partido para os seus incisivos protestos. Ainda esta quinta-feira, ativistas seus bloquearam a entrada do edifício da bolsa de Londres, enquanto outros se manifestavam no alto de um comboio, no que foi o décimo primeiro dia dos seus protestos.

Este é o mesmo grupo internacional do qual fazem parte os manifestantes que no início desta semana, na segunda-feira, interromperam o discurso do primeiro-ministro António Costa, durante o jantar de aniversário do PS, atirando aviões de papel para criticar a construção do aeroporto no Montijo.

Desde o dia 15 de abril que o grupo tem realizado diversas ações mediáticas em Londres, como a do bloqueio da bolsa. A polícia londrina já prendeu mais de mil pessoas ligadas aos protestos, que pretendem do governo britânico ações concretas para travar as alterações climáticas.

Entre as exigências do grupo Extinction Rebellion estão a declaração do estado de emergência climática e ecológica no Reino Unido, a redução das emissões de CO2 do país a zero até 2025, e a criação de uma assembleia de cidadãos para acompanhar as decisões relativas ao aquecimento global.

Com a nova pintura mural em Marble Arch, o grupo - e o seu protesto - ganham um precioso apoio, e mais um importante impulso mediático. Mesmo que o mural não seja de Bansky - e já restam poucas dúvidas de que é mesmo dele - parece ser. Até porque esta é uma luta que assenta como uma luva no artista de Bristol.

Exclusivos