Líder histórico da ETA detido após 17 anos em fuga

Josu Ternera foi capturado esta manhã nos Alpes franceses

José Antonio Urrutikoetxea, conhecido como Josu Ternera, histórico dirigente da ETA que estava fugido há 17 anos, foi capturado na manhã desta quinta-feira nos Alpes franceses, numa operação conjunta entre a Guardia Civil espanhola e as autoridades francesas.

De acordo com o jornal espanhol El Mundo a detenção aconteceu pelas sete da manhã desta quinta-feira na localidade de Salanches, quando Ternera se preparava para ir ao hospital. De acordo com o diário, foram precisamente as idas regulares do histórico da ETA ao hospital que facilitaram a sua descoberta.

Josu Ternera estava em paradeiro incerto desde 2002, altura em que foi chamado a prestar declarações pelo atentado da ETA a uma casa quartel da Guardia Civil em Saragoça. Um atentado com um carro bomba, em 1987, que provocou uma enorme comoção em Espanha, por ter provocado a morte a 11 pessoas, entre elas seis menores de idade - filhas de membros da Guardia Civil, que residiam naquele local. A operação que hoje culminou na detenção do etarra foi, aliás, denominada como Infância Roubada, numa alusão à morte das crianças. Ternera era, à data, o chefe político da ETA.

Nesse ano de 2002, Ternera - que era então membro do Parlamento do País basco - faltou a duas audiências para as quais foi convocado, e acabou por desaparecer no final de 2002. Até agora.

Ternera, atualmente com 68 anos, conta mais de cinco décadas na ETA, onde foi quase tudo, de mero operacional a líder da organização. Mesmo estando fugido às autoridades, foi por várias vezes o interlocutor da ETA em negociações com o governo espanhol. Segundo o diário El País , é dele a voz que lê a declaração do fim da luta armada da organização separatista basca, em 2011.

.

Ler mais

Exclusivos