Falha de check-in provoca caos em aeroportos de vários países. Os nacionais também foram afetados

A TAP diz ao DN que os problemas técnicos foram resolvidos em cerca de 20 minutos. Aeroportos nacionais também foram afetados

Uma falha no sistema de check-in de várias companhias aéreas está a provocar o caos em vários aeroportos do mundo. Segundo o Telegraph, registam-se atrasos e problemas nos aeroportos de Gatwick e Heathrow, em Londres, no Charles de Gaulle, em Paris, Changi, Singapura, no aeroporto de Joanesburgo, África do Sul, de Zurique, na Suíça, de Melbourne e de Sydney, na Austrália, e de Washington DC, nos Estados Unidos.

A ANA - Aeroportos de Portugal confirmou ao DN que o sistema utilizado por algumas companhias aéreas para gerir o check-in, criado pela empresa Amadeus, registou problemas técnicos, mas estes foram resolvidos em cerca de 20 minutos.

A falha no sistema ocorreu por volta das 10:30, mas não houve confusão nem grandes filas de espera porque o problema foi resolvido em pouco tempo. "O check-in apenas demorou um bocadinho mais", explicou fonte oficial da ANA ao DN.

A TAP confirmou que o software internacional que usa para gerir operações de check-in falhou, mas cerca de 20 minutos depois foi restaurado. A falha foi sentida "em todos os aeroportos onde a TAP opera" mas não houve grandes perturbações.

Fonte oficial da TAP explicou que a empresa é uma "mera utilizadora" do sistema, tal como muitas outras companhias aéreas mundiais, e, como tal, não pode determinar o motivo do erro. "É como o Facebook. Quando o Facebook falha não se vai perguntar aos utilizadores porque falhou", explicou.

Segundo o Telegraph, também foi por volta das 10:30 desta quinta-feira que a falha ocorreu nos outros aeroportos.

Enquanto nos aeroportos portugueses a situação decorreu calmamente, em outros aeroportos, como os de Londres, as filas de espera começaram a formar-se, deixando os passageiros inquietos.

Nas redes sociais, várias pessoas mostram a confusão em diferentes aeroportos.

Segunda a Quartz, entre as companhias aéreas que usam o sistema que foi afetado estão a Luftansa, a British Airways, a Air France, a Qatar Airways e a Southwest Airlines.

A TAP garante que a falha já foi corrigida a nível mundial. "Não é possível que a falha tenha sido recuperada para uns e para outros não", disse fonte oficial da companhia aérea portuguesa.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ricardo Paes Mamede

O populismo entre nós

O sucesso eleitoral de movimentos e líderes populistas conservadores um pouco por todo o mundo (EUA, Brasil, Filipinas, Turquia, Itália, França, Alemanha, etc.) suscita apreensão nos países que ainda não foram contagiados pelo vírus. Em Portugal vários grupúsculos e pequenos líderes tentam aproveitar o ar dos tempos, aspirando a tornar-se os Trumps, Bolsonaros ou Salvinis lusitanos. Até prova em contrário, estas imitações de baixa qualidade parecem condenadas ao fracasso. Isso não significa, porém, que o país esteja livre de populismos da mesma espécie. Os riscos, porém, vêm de outras paragens, a mais óbvia das quais já é antiga, mas perdura por boas e más razões - o populismo territorial.