Falha de check-in provoca caos em aeroportos de vários países. Os nacionais também foram afetados

A TAP diz ao DN que os problemas técnicos foram resolvidos em cerca de 20 minutos. Aeroportos nacionais também foram afetados

Uma falha no sistema de check-in de várias companhias aéreas está a provocar o caos em vários aeroportos do mundo. Segundo o Telegraph, registam-se atrasos e problemas nos aeroportos de Gatwick e Heathrow, em Londres, no Charles de Gaulle, em Paris, Changi, Singapura, no aeroporto de Joanesburgo, África do Sul, de Zurique, na Suíça, de Melbourne e de Sydney, na Austrália, e de Washington DC, nos Estados Unidos.

A ANA - Aeroportos de Portugal confirmou ao DN que o sistema utilizado por algumas companhias aéreas para gerir o check-in, criado pela empresa Amadeus, registou problemas técnicos, mas estes foram resolvidos em cerca de 20 minutos.

A falha no sistema ocorreu por volta das 10:30, mas não houve confusão nem grandes filas de espera porque o problema foi resolvido em pouco tempo. "O check-in apenas demorou um bocadinho mais", explicou fonte oficial da ANA ao DN.

A TAP confirmou que o software internacional que usa para gerir operações de check-in falhou, mas cerca de 20 minutos depois foi restaurado. A falha foi sentida "em todos os aeroportos onde a TAP opera" mas não houve grandes perturbações.

Fonte oficial da TAP explicou que a empresa é uma "mera utilizadora" do sistema, tal como muitas outras companhias aéreas mundiais, e, como tal, não pode determinar o motivo do erro. "É como o Facebook. Quando o Facebook falha não se vai perguntar aos utilizadores porque falhou", explicou.

Segundo o Telegraph, também foi por volta das 10:30 desta quinta-feira que a falha ocorreu nos outros aeroportos.

Enquanto nos aeroportos portugueses a situação decorreu calmamente, em outros aeroportos, como os de Londres, as filas de espera começaram a formar-se, deixando os passageiros inquietos.

Nas redes sociais, várias pessoas mostram a confusão em diferentes aeroportos.

Segunda a Quartz, entre as companhias aéreas que usam o sistema que foi afetado estão a Luftansa, a British Airways, a Air France, a Qatar Airways e a Southwest Airlines.

A TAP garante que a falha já foi corrigida a nível mundial. "Não é possível que a falha tenha sido recuperada para uns e para outros não", disse fonte oficial da companhia aérea portuguesa.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Catarina Carvalho

Assunto poucochinho ou talvez não

Nos rankings das escolas que publicamos hoje há um número que chama especialmente a atenção: as raparigas são melhores do que os rapazes em 13 das 16 disciplinas avaliadas. Ou seja, não há nenhum problema com as raparigas. O que é um alívio - porque a avaliar pelo percurso de vida das mulheres portuguesas, poder-se-ia pensar que sim, elas têm um problema. Apenas 7% atingem lugares de topo, executivos. Apenas 12% estão em conselhos de administração de empresas cotadas em bolsa - o número cresce para uns míseros 14% em empresas do PSI20. Apenas 7,5% das presidências de câmara são mulheres.

Premium

Adolfo Mesquita Nunes

Quando não podemos usar o argumento das trincheiras

A discussão pública das questões fraturantes (uso a expressão por comodidade; noutra oportunidade explicarei porque me parece equívoca) tende não só a ser apresentada como uma questão de progresso, como se de um lado estivesse o futuro e do outro o passado, mas também como uma questão de civilização, de ética, como se de um lado estivesse a razão e do outro a degenerescência, de tal forma que elas são analisadas quase em pacote, como se fosse inevitável ser a favor ou contra todas de uma vez. Nesse sentido, na discussão pública, elas aparecem como questões de fácil tomada de posição, por mais complexo que seja o assunto: em questões éticas, civilizacionais, quem pode ter dúvidas? Os termos dessa discussão vão ao ponto de se fazer juízos de valor sobre quem está do outro lado, ou sobre as pessoas com quem nos damos: como pode alguém dar-se com pessoas que não defendem aquilo, ou que estão contra isto? Isto vale para os dois lados e eu sou testemunha delas em várias ocasiões.