Encontrados restos mortais de menina desaparecida há nove anos

Os restos mortais foram encontrados em setembro do ano passado por caçadores

Os restos mortais de uma menina de 10 anos desaparecida desde 2009 foram identificados na semana passada, no estado de Washington, EUA. A descoberta, que foi feita o ano passado, mas só agora confirmada por análises forenses, encerra anos de buscas, que chegaram a envolver centenas de agentes e voluntários.

O anúncio foi feito pelo Xerife do condado de Grays Harbor, na quinta-feira. Segundo a CBS, Rick Scott informou que o caso é agora uma investigação de rapto e homicídio.

Lindsey Baum desapareceu quando voltava de casa de uma amiga, um caminho de quatro quarteirões numa pequena cidade com cerca de dois mil habitantes, McCleary. Desapareceu na noite de 26 de junho de 2009, dias antes do seu 11º aniversário.

Os restos mortais foram encontrados em setembro do ano passado por caçadores, numa área remota do estado de Washington, na costa oeste dos EUA, a mais de 100 km de casa. Depois de análises de ADN no laboratório do FBi foi possível confirmar que se trata de facto de Lindsey Baum.

Notícia atualizada às 17.40. Substituída a palavra "encontrados" por "identificados" no primeiro parágrafo. Os restos mortais foram encontrados no ano passado, mas os resultados das análises só chegaram e foram anunciados na semana passada

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Almeida Moreira

Bolsonaro, curiosidade ou fúria

Perante um fenómeno que nos pareça ultrajante podemos ter uma de duas atitudes: ficar furiosos ou curiosos. Como a fúria é o menos produtivo dos sentimentos, optemos por experimentar curiosidade pela ascensão de Jair Bolsonaro, o candidato de extrema-direita do PSL em quem um em cada três eleitores brasileiros vota, segundo sondagem de segunda-feira do banco BTG Pactual e do Instituto FSB, apesar do seu passado (e presente) machista, xenófobo e homofóbico.