Como Bush filho se despediu de Bush pai

O antigo presidente foi recordado nas cerimónias fúnebres como o último grande soldado estadista, mas também "o melhor pai que um filho poderia ter" por parte do filho, num discurso carregado de emoção.

George W. Bush prestou homenagem ao pai num discurso que começou com gracejos e que terminou com o 43.º presidente emocionado ao despedir-se do pai, que foi enterrado ao lado da mulher e da filha Robin, que morreu aos três anos.

"Vamos sentir a tua falta. A tua decência, sinceridade e alma generosa ficará connosco para sempre. Através das nossas lágrimas, sabe a bênção que foi conhecer-te e amar-te, um grande e nobre homem, o melhor pai que um filho ou filha poderia ter", disse George W. Bush, e ao dizê-lo não resistiu à emoção e baixou a cabeça.

Na cerimónia de duas horas, George W. Bush descreveu o pai como um homem aventureiro que durante toda a vida desafiou a morte, fosse a atravessar o Atlântico de navio aos 85 anos, fosse a saltar de paraquedas aos 90. O falecido presidente esteve perto da morte devido a uma infeção por estafilococos quando era adolescente e foi resgatado no Pacífico depois do avião que pilotava ter sido abatido pelas forças japonesas durante a Segunda Guerra Mundial.

Apesar de ter falhado a reeleição, Bush tem sido lembrado como símbolo de uma era anterior de civilidade na política americana, imagem que contrasta com os discursos de divisão e de raiva que fizeram parte da ascensão de Donald Trump à presidência.

O ex-presidente George W. Bush disse que o seu pai "era um homem empatético. Valorizava o caráter em vez da linhagem, e era cínico. Procurava o bem que há em cada pessoa - e geralmente encontrava".

O atual presidente, que se sentou ao lado do casal Obama, não é bem visto entre os Bush, apesar de partilharem o mesmo partido.

Donald Trump irritou o falecido presidente ao atacar os seus filhos, George W. Bush e Jeb Bush, este advresário nas primárias republicanas de 2016.

Trump escreveu no Twitter que estava "ansioso por estar com a família Bush" e que não iria a um funeral, "é um dia de celebração de um grande homem que levou uma vida longa e distinta".

George H.W. Bush não apoiou Trump na eleições presidenciais de 2016.

Bush, que estava doente nos últimos anos, enviou uma carta a Trump em janeiro de 2017 dizendo que não podia comparecer à cerimónia de tomada de posse devido a problemas de saúde, e desejou-lhe felicidades.

Além de George W. Bush, os presentes na Catedral Nacional de Washington ouviram outros elogios fúnebres. "George H.W. Bush foi o último grande estadista militar dos EUA ", disse Jon Meacham, biógrafo presidencial. "Fez frente na Guerra Fria contra o totalitarismo. Fez frente em Washington contra o partidarismo irracional", recordou.

O 41.º presidente dos EUA morreu na semana passada no Texas aos 94 anos. Foi chefe de Estado de 1989 a 1993.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Daniel Deusdado

Começar pelas portagens no centro nas cidades

É fácil falar a favor dos "pobres", difícil é mudar os nossos hábitos. Os cidadãos das grandes cidades têm na mão ferramentas simples para mudar este sistema, mas não as usam. Vejamos a seguinte conta: cada euro que um português coloca num transporte público vale por dois. Esse euro diminui o astronómico défice das empresas de transporte público. Esse mesmo euro fica em Portugal e não vai direto para a Arábia Saudita, Rússia ou outro produtor de petróleo - quase todos eles cleptodemocracias.