Juiz do caso Mensalão declara voto em Haddad

Joaquim Barbosa, que foi também um dos juízes que teve forte ação no processo Mensalão, declarou no Twitter que irá votar Haddad. "Pela primeira vez há um candidato que me inspira medo," afirmou, referindo-se a Bolsonaro.

Joaquim Barbosa, ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), declarou esta sábado que votará em Fernando Haddad (PT) neste segundo turno. Segundo ele, após avaliar os dois candidatos, optou pelo petista por medo do possível governo de Jair Bolsonaro (PSL). Em vídeo divulgado recentemente, Eduardo Bolsonaro, eleito deputado federal, disse que "um soldado e um cabo são suficientes para fechar o STF".

"Votar é fazer uma escolha racional. Eu, por exemplo, ponderei os aspetos positivos e os negativos dos dois candidatos que restam na disputa. Pela primeira vez em 32 anos de exercício do direito de voto, um candidato me inspira medo. Por isso, votarei em Fernando Haddad", escreveu Joaquim Barbosa.

Em 2012, o juiz teve forte atuação no julgamento do "Mensalão" e na Operação Lava Jato. Essa atuação fez de Barbosa um ancestral do juiz Sérgio Moro. O ex-juiz também foi contra o impeachment de Dilma Rousseff, chamado por ele de "Tabajara" e "espetáculo patético". No início do ano, ao se filiar ao PSB, havia a expectativa de que concorresse à Presidência da República.

Exclusivos

Premium

Alentejo

Clínicos gerais mantêm a urgência de pediatria aberta. "É como ir ao mecânico ali à igreja"

No hospital de Santiago do Cacém só há um pediatra no quadro e em idade de reforma. As urgências são asseguradas por este, um tarefeiro, clínicos gerais e médicos sem especialidade. Quando não estão, os doentes têm de fazer cem quilómetros para se dirigirem a outra unidade de saúde. O Alentejo é a região do país com menos pediatras, 38, segundo dados do ministério da Saúde, que desde o início do ano já gastou mais de 800 mil euros em tarefeiros para a pediatria.