Edifício colapsa na Nigéria. Quarenta crianças resgatadas com vida

Desabou um edifício residencial que albergava uma escola com cerca de 100 alunos, na cidade de Lagos. Já há pelo menos oito mortos entre as crianças.

Quarenta crianças foram resgatadas e pelo menos oito morreram nos escombros de um edifício que colapsou em Lagos, Nigéria, esta quarta-feira, avança a BBC, citando autoridades no local. No edifício funcionava uma escola com cerca de uma centena de alunos.

A escola estava situada no terceiro e último andar de um edifício em Ita Faji, na ilha de Lagos, a cidade mais populosa e antiga capital do país da África ocidental.

Cerca de 40 alunos foram encontrados vivos, segundo as autoridades citadas pela BBC, mas as equipas de resgate procuram de forma frenética outros possíveis sobrevivente.

Ainda não são claras as causas do colapso do edifício ocupado por apartamentos e pela escola.

As equipas de emergência retiraram vários dos alunos feridos, mas muitos pais preocupados permaneciam no local por não conseguirem encontrar os seus filhos, enquanto outros se dirigiram para o hospital local à procura de informações sobre as vítimas que ali deram entrada.

Mohammed Muftau, um morador local que testemunhou o colapso, disse à BBC que o prédio estava a abrir rachas há muito tempo e que havia queixas sobre isso.

No Hospital Geral da Ilha de Lagos, assistiram-se a cenas de caos quando pais e familiares correram atrás de cada ambulância que chegava para ver se vinha alguém da família.

Segundo o porta-voz da Agência Nacional de Gestão de Emergências, Ibrahim Farinloye, o colapso aconteceu cerca das 10.00 (menos uma hora em Lisboa). "Acredita-se que muitas pessoas, incluindo crianças, estão atualmente presas no prédio", disse.

Segundo a BBC, não é raro os edifícios colapsarem na Nigéria. Os materiais usados são muitas vezes abaixo de padrões mínimos de segurança e a aplicação dos regulamentos é frouxa.

Em 2016, mais de 100 pessoas morreram quando o telhado de uma igreja em Uyo, no sul da Nigéria, desmoronou.

[notícia atualizada às 15.25 com os últimos dados sobre o colapso]

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG