Cruz Vermelha pede desculpa por cartaz "racista"

O objetivo do cartaz era promover a segurança nas piscinas, mas falhou

A Cruz Vermelha norte-americana viu-se brigada a pedir desculpa por causa de um cartaz que pretendia sensibilizar os utilizadores de piscinas para aqueles que seriam os melhores comportamentos a adotar do ponto de vista da segurança. O cartaz, que entretanto foi retirado do site oficial do organismo, mostrava um desenho com crianças a brincar na piscina, salientando com setas aquelas que seriam as formas corretas e incorretas de estar. Só que houve quem ali visse indícios de racismo.

É que a maioria das crianças às quais é indicado um mau comportamento (mergulhar do solo ou empurrar outra criança, por exemplo) é de raça negra, enquanto que as crianças brancas tem um bom comportamento. Um pormenor em que repararam algumas pessoas, que trataram de o comentar redes sociais. A alegada discriminação assumiu proporções tais que a Cruz Vermelha americana emitiu um comunicado a pedir desculpa.

"Não era nossa intenção ofender ninguém", realçou o organismo, reafirmado o seu compromisso com a diversidade e inclusão. A Cruz Vermelha norte-americana retirou o cartaz do site e contactou as infraestruturas com piscina para as quais este havia sido distribuído para o retirarem.

O organismo lançara mais esta campanha no âmbito da segurança aquática com o objetivo de reduzir a taxa de afogamentos nas piscinas em 50 comunidades de risco nos próximos cinco anos, ensinando pelo menos 50 mil pessoas a nadar.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG