Banhistas formaram uma corrente humana e salvaram família

Seis membros de uma família e quatro outros nadadores foram puxados mar adentro numa praia da Florida. Mas 80 banhistas formaram uma corrente e salvaram-nos

O cenário era assustador. Uma dúzia de cabeças a flutuar na água, a gritar desesperadamente por ajuda. Seis membros de uma família (quatro adultos e dois rapazes) e quatro outros nadadores tinham sido levados pelas fortes correntes e lutavam para se manterem à superfície, na praia de Panama City, Florida (Estados Unidos). Foi no passado sábado. Um jipe da polícia estava no areal com os agentes à espera de um barco de salvamento. Mas aquelas pessoas não podiam esperar.

Segundo conta o jornal Washington Post, valeu a iniciativa de um casal, Jessica e Derek Simmons, que correu para as águas, determinado. "Estas pessoas não se vão afogar hoje. Isso não vai acontecer!", recordou Jessica ao jornal Panama City News Herald. Excelente nadadora, Jessica podia tentar resgatá-los a nado mas já tinha havido quem tivesse tentado com o resultado de ficarem ainda mais pessoas na água, a lutar contra as correntes.

Por isso lembrou-se de tentar algo diferente: "Formem uma corrente humana", gritou Jessica para os banhistas que se encontravam na praia. Começaram com cinco voluntários, depois 15, depois mais umas dúzias até formarem um cordão humano com 80 pessoas, que chegou à família em risco de afogamento e aos outros quatro nadadores que também se encontravam no limite.

As dez pessoas foram salvas e toda a praia aplaudiu. Num post do Facebook, a heroína do dia, Jessica Simmons, escreveu: "Ver pessoas de diferentes raças e géneros a agir para salvar perfeitos desconhecidos é absolutamente fantástico. Pessoas que não se conheciam de lado nenhum deram as mãos numa linha, dentro de água, para chegar aos que precisavam. Parem para pensar e simplesmente imaginem isto". É daquelas histórias que nos devolvem a fé na humanidade.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG