Austrália vai abater mais de dez mil camelos selvagens

Há mais de um milhão de camelos no país e com a seca os animais estão a invadir casas e a tentar chegar à água de torneiras, tanques e ares condicionados. Temperaturas aumentam de novo na sexta-feira e bombeiros temem novos incêndios gigantescos.

Mais de 10.000 camelos vão ser abatidos a partir de helicópteros, uma medida que vai ser tomada devido à seca que o país atravessa. O motivo? Os animais estão a beber muita água. A ordem chega dos líderes aborígenes das terras de Anangu Pitjantjatjara Yankunytjatjara (APY), uma área de governo local da Austrália. Atiradores profissionais vão iniciar o abate esta quarta-feira (dia 8 de janeiro).

A operação para controlar a população de camelos, estimada em 1,2 milhões em todo o país, deve levar cinco dias. As carcaças dos animais serão deixadas para secar antes de serem queimadas ou enterradas, de acordo com a ABC News.

A decisão foi tomada após os moradores da região se terem queixado de que os camelos estavam a entrar nas comunidades e a causar estragos na sua busca ansiosa por água disponível, o que os tem levado a "atacar" torneiras e tanques.

"Estamos presos em condições quentes e desconfortáveis, e sentimo-nos mal porque os camelos estão a derrubar cercas, a entrar pelas casas e a tentar beber a água dos aparelhos de ar condicionado '', disse Marita Baker, membro do conselho executivo da APY, ao The Australian (conteúdo disponível só com assinatura), que o jornal Independent cita.

O abate de camelos tem em consideração ainda as emissões de gases de efeito estufa, já que emitem metano equivalente a uma tonelada de dióxido de carbono por ano. Há animais que na sua ânsia de chegar à água se atropelam, caem e acabem por morrer. Já aconteceu as carcaças destes animais contaminarem fontes de água importantes para a região.

Se o abate de camelos na Austrália não acontecesse, a população dobraria a cada oito a dez anos, indica o jornal.

Temperaturas aumentam sexta-feira

As últimas estimativas apontam para que mais de mil milhões de animais tenham morrido nos incêndios que assolaram todo o país. Especialistas em vida selvagem temem que os incêndios florestais possam ter exterminado espécies inteiras de animais.

Pelo menos 25 pessoas e milhões de animais morreram desde setembro. A Austrália luta contra uma temporada de incêndios florestais sem precedentes, alimentada por temperaturas recordes e secas generalizadas. Na terça-feira, oficiais de New South Wales (NSW) disseram que os incêndios destruíram 1.588 casas e danificaram mais 653.

Segundo a BBC, após as temperaturas extremas da semana passada, os bombeiros usam agora o clima mais ameno para aumentar as linhas de contenção à volta dos incêndios no sudeste do país. As temperaturas provavelmente subirão novamente na próxima sexta-feira e há receios de que se forme um novo incêndio de dimensões gigantes.

Na segunda-feira, depois de avisar que a crise pode durar meses, o primeiro-ministro Scott Morrison disse que foram direcionados 1,4 mil milhões de dólares para a recuperação do que ficou destruído e que irá ter lugar nos próximos dois anos.

No entanto, o primeiro-ministro australiano tem recebido fortes críticas pela forma como tem lidado com a crise - como ter estado de férias no Havai durante os incêndios - e por subestimar o papel das alterações climáticas.

Elton Jonh, Nicole Kidman e Kylie Minogue doam milhões

Várias figuras públicas têm doado dinheiro para apoiar os esforços de combate aos incêndios, entre eles o australiano Chris Hemsworth, que na terça-feira disse ter doado um milhão de dólares.

O cantor Elton John encerrou um concerto em Sydney esta terça-feira, anunciando que também doaria um milhão de dólares à mesma causa. A cantora norte-americana Pink e a atriz Nicole Kidman prometeram doar 500 mil dólares cada uma.

Na segunda-feira, Kylie Minogue informou, através de um tweet, que a sua família tinha doado 500 mil dólares para ajudar nos esforços imediatos de combate aos incêndios na Austrália.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG