Advogado de Trump tentou fazer troca de prisioneiros ignorando sanções dos EUA

Rudy Giuliani entrou em desacordo com o secretário de Estado, que era contra a ideia, mas Trump terá tentado que as acusações contra o cliente do seu advogado pessoal fossem retiradas.

O advogado pessoal de Donald Trump está outra vez envolvido em polémica. Rudy Giuliani tentou fazer uma troca de prisioneiros com a Turquia, mas o seu cliente era um comerciante de ouro acusado de ajudar um banco turco a branquear dez mil milhões de dólares com destino ao Irão, desafiando as sanções impostas pelos EUA.

Segundo o Guardian, Rudy Giuliani era o representante legal de Reza Zarrab, um comerciante de ouro iraniano-turco, e estava presente numa reunião na Sala Oval, em 2017, onde pediu a libertação do seu cliente numa possível troca de prisioneiros com a Turquia.

Rex Tillerson, então secretário de Estado, "argumentou que seria altamente inapropriado interferir num caso criminal [ainda] aberto", de acordo com duas pessoas que estavam na reunião, diz o The New York Times, que avançou com a história.

Giuliani ainda não era advogado pessoal de Trump e não aceitou a objeção de Tillerson. Perante a discussão, segundo testemunhas, o presidente dos EUA não ficou ao lado do seu secretário de Estado mas disse para os dois resolverem o diferendo entre si.

A troca de prisioneiros acabou por não acontecer, mas um relatório da agência Bloomberg desta semana revela que Donald Trump pressionou Tillerson para persuadir o departamento de justiça a deixar cair um processo criminal contra Zarrab.

"Tillerson recusou, argumentando que isso constituiria uma interferência numa investigação a decorrer", escreve a Bloomberg.

Em entrevista ao The New York Times, Giuliani comparou os seus esforços como os que aconteceram durante as trocas de espiões em período de Guerra Fria. "Eu esperava ser um herói como num filme de Tom Hanks", disse o advogado.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG