RTP volta atrás. Afinal, "habemus" Eurovisão!

A organização do certame "fez um preço especial" e a estação pública vai emitir as semifinais e a final do festival

Afinal, os portugueses vão poder ver o Festival Eurovisão da Canção através da RTP. Daniel Deusdado, diretor de programas da estação pública, disse ao nosso site que a organização do certame "fez um preço especial" que permite a emissão do mesmo. "Transmitir a Eurovisão é muito caro. Perante a nossa decisão de não passarmos o certame, a EBU [European Broadcasting Union] acabou por conversar connosco e por nos fazer um preço extraordinário", explicou o responsável.

Deusdado referiu que a opção anteriormente tomada de não transmitir o maior evento musical europeu - que este ano acontece em Estocolmo, na Suécia, nos dias 10, 12 e 14 de maio - foi "uma opção". "O orçamento não estica e nós já vamos emitir o Europeu [de futebol, em junho e julho] e os Jogos Olímpicos [em agosto]. Com o novo valor que a organização nos propôs - e eles sabem que Portugal é um país em crise - já podemos dar aos nossos espectadores as duas semifinais e a final", completou. "Assim já não teremos de fazer um investimento muito forte".

A edição deste ano do Festival Eurovisão da Canção não vai contar com representação portuguesa. "A RTP está também empenhada em redefinir o Festival da Canção [cujo vencedor é levado à Eurovisão] e a forma de escolha da música que representa Portugal. Queremos alargar esse conceito. Em princípio, voltamos em 2017", tinha já explicado o diretor de programas ao nosso site.

Esta é a quinta vez que o nosso país fica de fora do concurso, sendo que também não participou nas edições de 1970, 2000, 2002 e 2013.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

O relatório do Conselho de Segurança

A Carta das Nações Unidas estabelece uma distinção entre a força do poder e o poder da palavra, em que o primeiro tem visibilidade na organização e competências do Conselho de Segurança, que toma decisões obrigatórias, e o segundo na Assembleia Geral que sobretudo vota orientações. Tem acontecido, e ganhou visibilidade no ano findo, que o secretário-geral, como mais alto funcionário da ONU e intervenções nas reuniões de todos os Conselhos, é muitas vezes a única voz que exprime o pensamento da organização sobre as questões mundiais, a chamar as atenções dos jovens e organizações internacionais, públicas e privadas, para a necessidade de fortalecer ou impedir a debilidade das intervenções sustentadoras dos objetivos da ONU.