Presidente da Teixeira Duarte foi o administrador que ganhou menos em 2016

O presidente do Conselho de Administração da Teixeira Duarte, Pedro Teixeira Duarte, auferiu 100 mil euros em 2016, tendo sido o elemento da administração que ganhou menos naquele ano.

De acordo com o relatório sobre o governo da sociedade enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a empresa gastou 1,13 milhões de euros nas remunerações do Conselho de Administração em 2016, dos quais 761.000 euros são relativos à componente fixa e 282.500 euros são relativos à componente variável, sendo os restantes 89.972,85 euros compensações por deslocações.

Pedro Teixeira Duarte ganhou 100 mil euros, dos quais 25 mil euros são a componente variável do seu vencimento (cinco mil atribuídos em 2016 e os restantes 20.000 atribuídos em 2013 mas só agora pagos), tendo sido o elemento do Conselho de Administração com remuneração mais baixa em 2016.

Por oposição, o administrador Diogo Bebiano Branco de Sá Viana Rebelo foi o que ganhou mais, tendo auferido mais do dobro do que ganhou o presidente do Conselho de Administração, num total de 222.209,90 euros, seguindo-se Carlos Gomes Baptista, que ganhou 208.875 euros.

A Teixeira Duarte indica que o montante global das remunerações variáveis pagas "representou 24,9% do valor total auferido".

Além disso, foi ainda decidido pela Comissão de Remunerações diferir o pagamento de uma parte da remuneração variável atribuída em 2016 para 2019, "dependendo da continuação do desempenho positivo da sociedade ao longo dos exercícios económicos de 2016 a 2018".

Em 2016, o lucro da Teixeira Duarte atribuível a detentores de capital caiu 40,1% em relação ao ano anterior, para 20,1 milhões de euros.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG