Migrações: Maioria dos adultos com 3.º ciclo do ensino básico são oriundos de países terceiros

Bruxelas, 23 mai 2019 (Lusa) -- A maioria das pessoas (35%) entre os 25 e os 54 anos na União Europeia (UE) que completaram pelo menos o terceiro ciclo do ensino básico eram, no ano passado, oriundas de países terceiros, segundo o Eurostat.

De acordo com o gabinete estatístico europeu, em 2018, 35% das pessoas entre os 25 e os 54 anos que completaram pelo menos o terceiro ciclo do ensino básico na UE eram oriundas de fora do bloco comunitário, contra 22% de nascidos no Estado-membro em que estudaram e 18% de pessoas oriundas de outro país da UE.

No que respeita ao ensino secundário, quase metade (47%) dos que o concluíram eram nacionais do país onde estudaram, seguindo-se os oriundos de outro Estado-membro (42%) e os de fora da UE (34%).

No ensino superior, as pessoas nascidas em outro Estado-membro estão no topo da tabela (37%), face a 36% do país de origem e às 31% oriundas de países fora da UE.

O boletim do Eurostat sobre integração de migrantes no sistema de ensino indica que a taxa de escolarização é maior nos homens do que nas mulheres, independentemente de serem ou não cidadãos da UE, tendência que se inverte no ensino superior.

Exclusivos

Premium

Ferreira Fernandes

A angústia de um espanhol no momento do referendo

Fernando Rosales, vou começar a inventá-lo, nasceu em Saucelle, numa margem do rio Douro. Se fosse na outra, seria português. Assim, é espanhol. Prossigo a invenção, verdadeira: era garoto, os seus pais levaram-no de férias a Barcelona. Foram ver um parque. Logo ficou com um daqueles nomes que se transformam no trenó Rosebud das nossas vidas: Parque Güell. Na verdade, saberia só mais tarde, era Barcelona, toda ela.