São Tomé acolhe exercício militar conjunto da CPLP em setembro

São Tomé 26 mar (Lusa) - São Tomé e Príncipe acolhe em setembro próximo o exercício militar conjunto da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), Felino 2018, disse hoje fonte militar na capital são-tomense.

"As intervenções de apoio a paz e ajuda humanitária são um enfoque das operações militares no seio da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa", disse Idalécio João, comandante da Guarda Costeira.

Para planear o Felino 2018, militares dos países da CPLP estão reunidos na capital são-tomense numa conferência de quatro dias cujos trabalhos começaram hoje.

"O exercício tem como objetivo a preparação de uma força de tarefa combinada no âmbito da CPLP, para atingir, manter e otimizar a capacidade de intervenção em missão de apoio a paz e ajuda humanitária sob a égide das Nações Unidas", explicou Idalécio João.

Procurando ter como "objetivo e atividade de maior visibilidade e projeção da componente de defesa no seio da CPLP", a edição de setembro do Felino realiza-se em duas fases , sendo "uma na carta (não inclui unidades militares no terreno) e outra com forças no terreno", explicou, por seu lado, o tenente-coronel Sebastião Andreza que está a coordenar os trabalhos desta conferência.

Segundo o oficial, esta reunião destina-se analisar aspetos que se prendem com a composição das diversas forças que vão participar no exercício de setembro e preparar documentações para serem aprovados no encontro dos Chefes de Estados-Maior General das Forças Armadas (CEMGFA) dos nove países membros da comunidade marcada para abril, no Brasil.

Este será o 18.º exercício militar da CPLP, cuja preparação está a decorrer na capital são-tomense com a participação das delegações de Angola, Brasil, Guiné-Equatorial, Portugal e Timor-Leste.

É a segunda vez que S. Tomé e Príncipe acolhe este exercício. A primeira vez ocorreu em 2007.

Angola recebe em 2019 a próxima edição, desta vez com o desdobramento das forças no terreno.

Exclusivos