Realizador Pedro Pinho distinguido pelos Prémios Nico da Academia Portuguesa de Cinema

O realizador Pedro Pinho e os atores José Pimentão e Oksana Tkach são os "novos talentos" distinguidos da segunda edição dos Prémios Nico, da Academia Portuguesa de Cinema (APC), disse hoje à Lusa fonte desta organização.

A segunda edição dos Prémios Nico homenageia Pedro Pinho, realizador de "A Fabrica do Nada", "que tem visto as suas obras premiadas em vários festivais", o ator José Pimentão, "uma das maiores revelações cinematográficas do ano", como coprotagonista de "Al Berto", e a atriz Oksana Tkach, de "O Fim da Inocência", "onde se destacou pelas intensas cenas físicas e psicológicas", salientou a APC.

Os Prémios Nico, criados no ano passado em homenagem a Nicolau Breyner, "têm como objetivo reconhecer novos talentos que, de alguma forma, evidenciam as qualidades e os sonhos que todos reconheciam" no "grande ator e realizador", segundo a APC.

Pedro Pinho teve o filme "A Fabrica do Nada" selecionado para a Quinzena dos realizadores do Festival de Cannes, em 2017, onde recebeu o prémio da crítica, como só antes conseguira Manoel de Oliveira, com a "Viagem ao Princípio do Mundo", 20 anos antes.

Foi também premiado como melhor filme, em Munique e em Barcelona, distinguido na Hungria, no Brasil, no festival de Turim, em Itália, e de Istambul, na Turquia, além de receber os prémios Sophia de melhor argumento adaptado e melhor montagem, da APC.

Pedro Pinho estreou o seu primeiro filme, o documentário "Bab Sebta" no FID Marseille, em 2008, onde recebeu o prémio Marseille Esperance. Foi também premiado como Melhor Filme no DocLisboa. A sua primeira longa-metragem de ficção, "Um Fim do Mundo", teve estreia em Berlim, em 2013, e recebeu os prémios Quijote e de melhor fotografia nos Caminhos de Cinema Português.

O ator José Pimentão estudou na Act -- Escola de Atores, com Beatriz Batarda, Nuno Pino Custódio e Vicente Alves do Ó, depois de ter feito o curso de Gestão e Administração de Empresas.

Participou na série "Filha da Lei", nos filmes "Turn, de José Luís Lopes, "Lux", de Bernardo Lopes e Inês Malveiro, e em "Al Berto", de Vicente Alves do Ó, pelo qual foi nomeado para o Prémio Sophia de melhor ator principal.

Oksana Tkach, atriz de origem ucraniana a viver em Portugal desde a infância, é considerada pela APC "uma das grandes revelações do cinema português", com a sua estreia em "O Fim da Inocência", de Joaquim Leitão.

Na primeira edição dos Prémios Nico, em junho do ano passado, foram distinguidos o realizador Nuno Rocha, o designer Igor Ramos e o ator Miguel Cunha.

Na altura, o produtor Paulo Trancoso, presidente da APC, recordou Nicolau Breyner como "grande ator" e "alguém que encorajava e transmitia aos jovens a importância da capacidade de sonhar", características que os Prémios Nico querem homenagear.

Exclusivos