Instituto Camões e Embaixada em Roma lamentam morte da professora Giulia Lanciani

O instituto Camões e a Embaixada de Portugal em Roma lamentaram hoje a morte da professora Giulia Lanciani, considerando que foi "uma referência ímpar" na ligação entre os dois países.

Giulia Lanciani, que morreu na quarta-feira aos 83 anos, foi académica, investigadora, tradutora e docente de língua portuguesa em Itália.

"A professora Giulia Lanciani deixa um contributo científico e académico de excelência e, sobretudo, um legado de amor à língua, às literaturas e às culturas de língua portuguesa", refere o Camões - Instituto da Cooperação e da Língua em comunicado enviado à agência Lusa.

O documento acrescenta que o Estado português reconheceu esse "percurso único" em outubro de 2010, ao conferir-lhe o título de Grande Oficial da Ordem do Infante Dom Henrique.

"Recebeu igualmente, ao longo da sua carreira, vários prémios e doutoramentos 'honoris causa' pela Universidade Nova (2003) e a Universidade Clássica de Lisboa (2011)", acrescenta.

Ler mais

Exclusivos