Governo acusa CDS de provocar "alarme social" sobre carne imprópria para consumo

O Ministério da Agricultura acusou hoje que o CDS-PP de provocar "alarme social" relativamente a um lote de carne de vaca impróprio para consumo, ao divulgar uma pergunta parlamentar antes desta ter chegado ao destinatário.

Em comunicado, o Ministério da Agricultura lamentou que "o CDS tenha utilizado o mecanismo regimental da pergunta parlamentar para intervir no espaço mediático à custa de um tema tão sensível como é a segurança alimentar".

"O ministério lamenta igualmente que o CDS tenha utilizado como expediente a divulgação do documento através da comunicação social, antes mesmo de o enviar ao destinatário, provocando alarme social ao colocar em dúvida que o problema detetado estivesse resolvido", refere.

No documento em causa, os deputados Patrícia Fonseca, Ilda Araújo Novo e Hélder Amaral questionam o ministro Capoulas Santos sobre o risco do lote de carne impróprio para consumo ter entrado no mercado português, sobre a avaliação das autoridades polacas e das medidas implementadas pelas autoridades nacionais.

O grupo parlamentar pediu ainda garantias ao Governo de que toda a carne bovina oriunda na Polónia e disponível no mercado nacional está em condições de salubridade e apta para consumo humano.

Trata-se de um lote de 99 quilogramas (Kg) de carne de vaca, que chegou ao mercado português proveniente de um matadouro da Polónia, que aproveitava carcaças de animais feridos ou doentes.

O caso foi revelado, este sábado, pelo canal polaco TVN24, que transmitiu imagens de um matadouro na região de Mazovia, a cerca de 100 quilómetros de Varsóvia, onde os funcionários retiravam feridas, tumores e sinais da carne que, posteriormente, era enviada para venda.

"Não obstante de conhecer já as diligências levadas a cabo pelas autoridades nacionais de controlo e fiscalização, A Direção-Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV) e a Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE), que prontamente identificaram o lote [...] e procederam à sua apreensão e destruição, o CDS veio questionar o Governo sobre a avaliação das autoridades polacas e sobre as medidas implementadas pelas autoridades nacionais relativamente a esta situação, quando essas medidas já eram do conhecimento público", sublinhou o ministério liderado por Capoulas Santos.

O Ministério da Agricultura perguntou aos deputados do CDS signatários da pergunta alimentar, se conhecem o sistema de segurança alimentar da União Europeia bem como o funcionamento das autoridades nacionais de fiscalização em matéria de segurança alimentar.

O Governo lembrou ainda que o alerta da chegada do lote a Portugal foi dado pela Rede de Alerta Rápido, que integra o sistema de segurança alimentar da União Europeia.

A Direção-Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV) já apresentou o relatório da situação às autoridades europeias.

Exclusivos

Premium

Maria Antónia de Almeida Santos

Uma opinião sustentável

De um ponto de vista global e a nível histórico, poucos conceitos têm sido tão úteis e operativos como o do desenvolvimento sustentável. Trouxe-nos a noção do sistémico, no sentido em que cimentou a ideia de que as ações, individuais ou em grupo, têm reflexo no conjunto de todos. Semeou também a consciência do "sustentável" como algo capaz de suprir as necessidades do presente sem comprometer o futuro do planeta. Na sequência, surgiu também o pressuposto de que a diversidade cultural é tão importante como a biodiversidade e, hoje, a pobreza no mundo, a inclusão, a demografia e a migração entram na ordem do dia da discussão mundial.