Cerca de 350 especialistas debatem o Património Cultural a partir de hoje em Lisboa

Cerca de 350 especialistas debatem, a partir de hoje, em Lisboa, diferentes questões relacionadas com o património, num encontro que a Direção-Geral do Património Cultural (DGPC) aponta como "ponto alto das atividades do Ano Europeu do Património Cultural".

A conferência internacional "Património Cultural: Desafios XXI" reúne-se hoje e na sexta-feira na sede da Fundação Calouste Gulbenkian, que, com a DGPC, organiza esta iniciativa, que "dá voz aos desafios que o Património Cultural enfrenta nas sociedades contemporâneas, na sua relação com a memória e o conhecimento, a sustentabilidade, a ciência, as alterações climáticas e as novas tecnologias, entre outros tópicos orientados para gestão e a projeção do futuro".

"O objetivo é apontar possíveis pistas de desenvolvimento, cruzando os domínios da cultura, da sociedade, da educação, da economia e do território", afirma a DGPC em comunicado, referindo que a "conferência tem presentes os mais recentes documentos emanados do Conselho da Europa, da Comissão Europeia e da UNESCO [Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura], apresentando reflexões atualizadas, a par da difusão de boas práticas nacionais e internacionais".

No encontro participam, segundo a mesma fonte, académicos, investigadores, profissionais do setor cultural e "altos representantes de instituições europeias e de organismos públicos de gestão do património cultural" de vários países.

Sílvia Costa, eurodeputada e ex-Presidente do Comité de Cultura e Educação do Parlamento Europeu, que no ano passado mereceu um "reconhecimento especial" do júri do Prémio Europeu Helena Vaz da Silva, é a primeira conferencista de hoje, após a tradicional sessão de abertura que conta, entre outras personalidades, com Guilherme d'Oliveira Martins, coordenador nacional do Ano Europeu do Património Cultural/2018, e a participação do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, que se dirigirá aos participantes por vídeo.

A sessão conta também com a presença de Isabel Mota, presidente do conselho de administração da Fundação Calouste Gulbenkian, de Catherine Magnant, chefe de Missão para o Ano Europeu do Património Cultural, da direção-geral de Educação, Cultura e Desporto da Comissão Europeia, e de Paula Araújo da Silva, diretora-geral do Património Cultural.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Saúde

Empresa de anestesista recebeu meio milhão de euros num ano

Há empresas (muitas vezes unipessoais) onde os anestesistas recebem o dobro do oferecido no Serviço Nacional de Saúde para prestarem serviços em hospitais públicos carenciados. Aquilo que a lei prevê como exceção funciona como regra em muitas unidades hospitalares. Ministério diz que médicos tarefeiros são recursos de "última instância" para "garantir a prestação de cuidados de saúde com qualidade a todos os portugueses".