MNE russo em Angola para aproximar os dois países, diz embaixador russo

Embaixador russo em Angola querer "criar sinergias" entre os dois países para que estes "possam estar mais próximos, mais favoráveis para o desenvolvimento da cooperação bilateral".

O embaixador russo em Angola disse hoje que a visita do ministro dos Negócios Estrangeiros da Federação Russa, Serguei Lavrov, ao país lusófono serve para aproximar os dois países e resolver eventuais desentendimentos.

Vladimir Tararov que falava no Aeroporto Internacional 4 de fevereiro, onde chegou esta terça-feira à tarde Serguei Lavrov, sublinhou que o objetivo é reforçar as relações e "relembrar aqueles tempos" quando estiveram juntos, sinalizando a "amizade" entre os dois países.

"Vamos criar sinergias entre os nossos dois países para que eles possam estar mais próximos, mais favoráveis para o desenvolvimento da cooperação bilateral", afirmou.

Questionado sobre as declarações do Presidente angolano, João Lourenço, que exortou a Rússia a dar o primeiro passo para resolver o conflito com a Ucrânia, o diplomata sublinhou que esse passo já foi dado "várias vezes".

"Isso foi no início do conflito, em março no ano passado, houve negociações que finalizam num acordo especial, mas depois a parte ucraniana recusou aquele acordo e agora existe mesmo uma lei na Ucrânia que proíbe as relações com a Rússia", salientou Tararov, acrescentando que "o Presidente (ucraniano) Zelensky declarou que não há nenhuma chance de falar com a Rússia, de negociar com a Rússia, somente (depois de ter vencido)".

Tararov garantiu ainda que a Rússia gostaria de dar esse passo, mas iniciar o cessar-fogo "não significa que a parte ucraniana vai fazer a mesma coisa".

"Isso foi já confirmado durante oito anos, desde 2014, quando nós assinamos os acordos de Minsk para estabelecer a paz entre as repúblicas de Donetsk e Donbass e a Ucrânia, mas eles violaram e agora os dirigentes da Europa, que foram os garantes daqueles acordos anunciaram que foram assinados justamente para ganhar tempo e que a parte ucraniana podia mesmo atacar a Rússia. Isso já foi confirmado publicamente", contrapôs.

O embaixador afirmou ainda que a relação e cooperação entre Angola e a Rússia não foram prejudicadas "porque cada país tem a sua liberdade e soberania para escolher a sua posição e o seu caminho".

Mas realçou que a Rússia quer mais proximidade: "Nós gostaríamos que esse caminho seja o mais próximo de nós e gostaríamos de explicar a nossa posição. Pode ser que exista mesmo um desentendimento qualquer por causa daquelas 'fake news' que agora existem em grande escala. Vamos ver, é por isso é que Lavrov vai chegar aqui, para nós resolvermos todos os nossos problemas existentes entre os nossos países".

O ministro dos Negócios Estrangeiros russo, Serguei Lavrov, vai encontrar-se na quarta-feira com o seu homólogo, Téte António, e o Presidente angolano, João Lourenço.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG