Reino Unido anuncia queixa a Madrid por causa de Gibraltar

A diplomacia britânica anunciou na terça-feira que pretende fazer oficialmente queixa a Madrid por causa das filas de espera "inaceitáveis" na fronteira com Gibraltar, causadas pelos controlos efetuados pelas autoridades espanholas.

"O Foreign Office vai fazer queixa ao Ministério espanhol dos Negócios Estrangeiros por causa dos atrasos inaceitáveis verificados terça-feira de manhã na fronteira espanhola com Gibraltar", declarou um porta-voz da diplomacia britânica.

Durante o dia, o Governo de Gibraltar pediu que a Comissão Europeia abra um inquérito à "forma como Espanha tem agido" ao multiplicar os controlos na fronteira com o território britânico, o que tem provocado longas filas de espera.

"A Espanha impôs novamente hoje [terça-feira] controlos desproporcionados para as viaturas que entram em Gibraltar, provocando filas de espera de mais de quatro horas", afirmou o chefe do Governo de Gibraltar, Fabian Picardo, em comunicado.

Estes controlos, "realizados sem aviso prévio, mostram uma vez mais a necessidade de a Comissão Europeia abrir rapidamente uma investigação sobre a forma como a Espanha está a agir e a necessidade de tomar rapidamente medidas legais onde elas são necessárias", acrescenta o comunicado.

O Governo de Gibraltar considera que os controlos aduaneiros levados a cabo pela polícia espanhola são uma forma de represália à decisão, de fim de julho, de colocar blocos de betão no mar para criar um recife artificial.

De acordo com o Governo de Madrid, a construção do recife teve como objetivo impedir os pescadores espanhóis de trabalharem nas águas reclamadas tanto por Gibraltar como por Espanha.

O governo espanhol reafirmou na segunda-feira que não abdicará de fazer aqueles controlos, sublinhando que eles são obrigatórios, uma vez que Gibraltar, como o Reino Unido, não faz parte do espaço Schengen, e são necessários para lutar contra o contrabando de tabaco, principalmente.

Madrid anunciou igualmente que vai estudar a possibilidade de levar a questão de Gibraltar às Nações Unidas ou ao Tribunal Internacional de Haia.

Estes episódios de tensão coincidem com a partida, na terça-feira, de Portsmouth, no sul de Inglaterra, de um navio de guerra britânico, o HMS Westminster, que fará escala em Gibraltar, na sequência de uma série de exercícios militares.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG