Premium A NATO ou a vida

António Costa levou à cimeira da NATO um quadro anualizado da despesa em defesa até 2024. Trata-se de um aumento gradual da despesa em percentagem do PIB que, só em 2018, será da ordem dos 330 milhões. É verdade que este quadro fica aquém dos 2% exigidos por Trump. Mas, ainda assim, Costa garantia no final que com os fundos que hão de vir de Bruxelas poderá ser possível tocar o mítico número. Seja como for, estamos a falar de um aumento bem superior a mil milhões em seis anos.

No plano das prioridades, a escolha é arrepiante. O Serviço Nacional de Saúde e a escola pública, ou a ciência e a cultura, evidenciam enormes fragilidades decorrentes dos cortes colossais impostos pelo governo de Passos Coelho. Mas a verdade é que o atual governo tem deixado demasiado por fazer a nível do necessário reinvestimento nestes serviços.

Ler mais