Exclusivo "A malta decidiu jogar a final nas Antas." E o Leixões ganhou a Taça ao FC Porto

Jacinto Santos, um dos heróis da Taça de Portugal conquistada pelos bebés de Matosinhos em 1960-1961, recordou ao DN o encontro e a decisão de jogar na casa do adversário e não no Jamor. Nesta terça-feira, os dois clubes voltam a encontrar-se na luta por um lugar na meia-final da prova.

Leixões, FC Porto e Taça de Portugal. Uma combinação que traz à memória a final da Taça de 1960-1961 ganha pelos bebés de Matosinhos aos dragões... em pleno Estádio das Antas. Recordação que certamente nesta terça-feira vai estar bem viva na memória dos adeptos e jogadores do Leixões, o único sobrevivente da II Liga ainda em prova, quando a partir das 19.30 medirem forças com a equipa de Sérgio Conceição. Um dos heróis desse dia 9 de julho de 1961, Jacinto Santos, recordou ao DN essa tarde em que o clube de Matosinhos contrariou o favoritismo dos dragões e ergueu a primeira e única Taça de Portugal conquistada pelo Leixões.

Numa altura em que ainda não existia o palco do encontro desta terça-feira entre os dois clubes, o Estádio do Mar, a Federação Portuguesa de Futebol concedia aos finalistas a possibilidade de jogar noutro estádio que não o Jamor, caso chegassem a acordo. "Havia a opção de as equipas jogarem em Coimbra ou noutro local. Na quinta-feira dessa semana, o diretor desportivo foi à cabina e perguntou aos jogadores onde queriam jogar: Lisboa, Coimbra ou nas Antas. E a malta esteve toda reunida e decidiu: 'Vamos jogar a final nas Antas! É só a dez quilómetros daqui, anda-se menos de autocarro ou de comboio.' A malta é que escolheu jogar lá a final. Isso era de uma equipa que estava com confiança, o que não quer dizer que tenhamos ganho o jogo facilmente, porque o FC Porto era o FC Porto e era muito superior ao Leixões", recordou ao DN o defesa/médio Jacinto Santos, hoje com 77 anos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG